sexta-feira, julho 24, 2009

O Perfeito silêncio

(…) Já nada o fazia prever, nem mesmo a acuidade do silêncio que se fazia sentir. Deixou soltar o corpo, numa expressão de prazer. Dançava ao som da exultação de uma vontade incontrolável. Não havia música, só o cheiro do dia, a luz do sol e o momento suspenso no ar. Não era importante, nada era importante e ao mesmo tempo as dúvidas desvaneciam-se. Os olhos fechavam-se e o sabor das partículas suspensas corrompia o sonho, alimentando a realidade.

(…) As mãos «pregadas» uma na outra, sustentadas pelo ritmo da vontade e pelo mutismo da água a percorrer-lhe o corpo. A brisa que sobressaltava a cortina, refrescava a realidade naquele impasse entre o tudo e o nada. As palavras – ali – só serviam para alarmar o sossego que se vivia, numa Alma gasta de tanto sufoco. Nada era ao acaso, assim como o decorrer da vida que se esvai a cada passo que se dá rumo a outra jornada.



(…) A porta bateu, desceu as escadas, os pés descalços sentiam o frio do mármore, provocando um arrepio na espinha. Havia um rasto do perfume que ele tinha deixado naquela manhã. Apesar de ter partido ela sentia a sua presença. Deixou-se ficar na fímbria do instante e sossegou a mente, respirou-o como nunca o tinha feito. O Corpo abriu-se, soltou um novo corpo – em chamas – que se reergueu num deleite inatingível.

(…) Dos seus olhos soltava-se a sua própria imagem, cheia de dúvidas e desesperos. Havia um sonho consumido pelos beijos que a unia naquele abraço terno a si. No silêncio somente ela existia, o seu desejo pertencia-lhe, assim como a sua vontade de viver. A sombra descolava-se da Alma, escondendo a insegurança do dia-a-dia. Os dedos percorriam a esperança desprotegida de si, no seu mais perfeito silêncio.

Apeteceu-me

"O silêncio é nosso, por mais que nos gritem" Charles de la Folie

5 comentários:

Anónimo disse...

As Palavras Perfeitas.
Beijo

Anónimo disse...

As tua escrita, é um alimento para as almas que te lêem. É a minha dieta preferida.

Gabriela disse...

O que escreves encantou-me!


amo pêssegos... ;)

★ Aralis ★ disse...

Sinto-me preenchida por ler as tuas palavras!
Adoro de coração!

Beijoca

anna, disse...

Obrigada pela sua presença no blog http://tea-and-literature.blogs.sapo.pt!
No outro dia fui à bertrand, e vi a capa do seu livro, sentei-me num daqueles banquinhos de lá e comecei a ler, simplesmente adorei. A sua escrita é magnifica. Muitos Parabéns!
Em breve irei comprá-lo!
Será que poderia também passar no meu blog e dar a sua opinião acerca de alguns textos que eu fiz? (basta clicar na plaquinha que diz "textos meus" em http://myworld_is_colorful.blogs.sapo.pt