segunda-feira, junho 26, 2006

Mais um engano

Mais uma vez estamos a ser enganados e continuamos de sorriso nos lábios e a cantarolar como se nada passasse.

O argumento para nos aumentarem a idade da reforma tem a ver com a média da esperança de vida que tem aumentado nos últimos anos, é verdade!

- O argumento até pode ser que se está a “bater as botas” cada vez mais tarde. Mas a verdade é que não: - a esperança de vida é feita por um cáculo simples - ou .


Provavelmente não é este o cálculo que José Sócrates o nosso digníssimo Primeiro Ministro fez quando disse: -“a forma de cálculo das pensões vai considerar toda a carreira contributiva e vai ligar as pensões à evolução da esperança média de vida.”

Porque o aumento ou o que fez aumentar mais a média nestes últimos anos tem sido: (felizmente) – a cada vez menor taxa de mortalidade infantil. (até aos 10 anos)

Mas o que “eles” querem que o povo veja é que; morremos cada vez mais tarde, eu por exemplo estou-me a ver em Bali, para ai com 90 anos a correr atrás de umas garotas, com a mão cheia de notas da minha reforma, a curtir que nem um louco e a lembrar-me:



Ainda bem que descontei quase 50 anos para poder contribuir para uma data de gente fixe que tinha grandes carrões e reformas aos 40, e eu de Pró-zé, um produto oriundo da nossa grande indústria e de gente que respeita o trabalho dos outros.

Quando estas histórias começam a andar na boca do povo, há logo alguém que grita que a culpa é dos funcionários públicos.

E cada vez mais isso irrita-me, mas também havia de irritar outros quantos que vão atrás da conversa, que por cá há funcionários públicos a mais, mas será?

A Suécia que é um Pais com a mesma população que nós tem quase o dobro de funcionários públicos que nós. Então porque será que lá resulta e cá não?

Aliás na Europa só há dois países com menos funcionários públicos que nós, a Espanha e o Luxemburgo, porque de resto a tabela a seguir demonstra isso:


Suécia 33,3%
Dinamarca 30,4%
Bélgica 28,8%
ReinoUnido 27,4%
Finlândia 26,4%
Holanda- 25,9%
França- 24,6%
Alemanha- 24%
Hungria- 22%
Eslováquia- 21,4%
Áustria- 20,9%
Grécia- 20,6%
Irlanda- 20,6%
Polónia- 19,8%
Itália- 19,2%
RepúblicaCheca 19,2%
PORTUGAL- 17,9%
Espanha- 17,2%
Luxemburgo - 16%





Voltando ao caso da Suécia é verdade que para aqueles funcionários públicos todos existem 50 administrações, no caso português existem 700, penso que isso explica muito ou pelo menos bastante. Se pensarmos que cada administração é composta por 5 elementos, que depois nomeiam mais uns quantos directores e coordenadores, e depois que cada um destes têm direito a um carro, cartão de crédito, telefone pago e mais uma série de benesses, basta somar isto tudo e pensar porque será a função publica um fardo para o país. Mas a verdade é que a culpa é sempre do mexilhão.


Apeteceu-me



O Lançamento de Santarém foi Fabuloso...

"O momento deve ser isso mesmo, um momento."

Charles de la Folie

11 comentários:

augustoM disse...

Falemos primeiro do lançamento. Pelo que leio foi o teu momento, um grande momento, a alma ficou bem cheia, o resto são cantigas.

Falando de cantigas, é o que nós cantamos, porque a música são eles a dar.

Esta história da velhice está muito mal contada, não acredito e penso que tu também, que só agora verificam que a malta está a ficar mais tempo por cá. Onde estão os estudos feitos há cerca de 15 anos que vaticinavam esta antiguidade.

A Suécia tal como nós fomos é um estado previdência e a Dinamarca também, por isso os estudos são de borla, a saúde é gratis, e muito boa, para todos, complementos de renda para os mais desfavorecidos e um sem número de regalias socias.
Na Suécia qualquer um pode ser rico, super rico, desde que pague cerca de 70% do rendimento em imposto.
Quando da previdência se quer passar para o liberal, sem o saber fazer, o resultado é este: os ricos cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais tesos, coisa do terceiro mundo.
Um abraço. Augusto

pisconight disse...

Eu vi o teu nome na TV "Conversas com: Carlos Barros" - eras tu não eras?

A culpa é e será sempre do mexilhão!!
;)

PS:Ainda bem que correu bem o lançamento do teu livro!!

Ana P. disse...

Meu querido, este tema é um tema que me põe de cabelos em pé.
Porque realmente a culpa é dos funcionários públicos, mas não daqueles que convevem aqui conosco. É daqueles que não se vêm, que têm amigos e que convidam amigos para ocuparem cargos e aqui o zé povinho é que tem de levar com esta maralha toda.
Mas como agora estamos em época de futebol e Portugal pode ser o pior em tudo, mas menos no futebol, no futebol não, as pessoas esquecem-se dessas coisas que são bastante importantes e dedicam-se de corpo e alma ao mundial. Só peço que daqui a alguns anos (o que acho que irá acontecer) não sejamos outro Brasil, onde há festas e futebol para esquecer a fome. Já me parecem as festas do pão e circo na antiga Roma.

Beijinhos muito bons para ti e muita sorte para a tua carreira

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Os pobres cada vez mais pobres e os ricos cada vez mais ricos, o pobres cada vez com mais trabalho e os ricos a gozar os rendimentos...

Beijos

Eric Blair disse...

É o choque ideológico.
Parabéns pelos sucessos que passam despercebidos aqui mais para cima.

O Micróbio II disse...

E convém que o mexilhão esteja mesmo bem agarrado...

Helder Ribau disse...

aqui estou eu novamente a visitar :)

Foxylady disse...

Dia 29 de Julho inauguro a 1ª loja vocacionada e viciada nas artes BDSM em Portugal e arredores....

A. Duarte Lázaro disse...

pois é... a vida está cheia de enganos...

Dulcineia disse...

Companheiro...Só vim ver se o livro já vai na 2ªediçao...Até breve e vamos lá pensar positivo!

amita I disse...

Um excelente artigo, Carlos.
Esta é a nossa "verdade" indigesta.
Um bjo e um sorriso