quinta-feira, janeiro 04, 2007

ASPIRA(DOR)

(…) Não há coisa pior que uma Mulher com a mania das limpezas.
O pó, a desarrumação, os vidros com dedadas, o lavatório, a sanita, a roupa da cama, eu sei lá que mais. Por muito que se dê a volta a casa, diz-se sempre que a casa está suja, por vezes como a nossa alma, por mais que uma pessoa se confesse, nem que seja as paredes. O mesmo se passa com as fotografias de qualquer Mulher, estão sempre, mas sempre um horror, é verdade que na maior parte das vezes até que estão. Por muito que se diga, as Mulheres tentam sempre fazer poses para o “passarinho” e depois o resultado é aquele ar tão natural de perfeita anormalidade.
Na realidade a Mulher tem algumas “coisas” espantosas, mas o pó, o lixo, a mania das arrumações, o aperalto constante da sua cabeça e o retirar de pelos, faz da Mulher um ser fascinante. Continuo a afastar-me realmente do que queria escrever, mas ouve alguém que compreendeu perfeitamente a Mulher e o seu maior problema e em vez de um “vibrador” com cabo de cristal SWAROVSKI.




Retirou-lhes um peso e inventou o aspira(dor), assim como um exorcista, e retirou-lhes a dor que tinham ao ver o lixo e pó acumulado, aliás a nossa língua, a portuguesa claro tem assim umas palavras que dão que pensar. Será por isso que as urgências dos hospitais são sempre no piso 0 para não terem de ir no eleva(dor), porque os nossos médicos pensam em tudo e não querem elevar a dor dos seus pacientes?
Não é menos verdade que o carrega(dor) quer de pianos quer da pistola podem carregar dor, se o piano cair num pé ou descarregar o carregador da pistola em alguém, há sempre dor carregada.
Conclusão há uma data de palavras que terminam em dor, na nossa língua que dão que pensar, aliás já começo a entender um pouco porque é que o povo português tem este ar cada vez mais pesaroso, além das dívidas acumuladas, das enormes cargas fiscais e vermos o país cada vez mais endividado, os ricos mais ricos, os pobre mais pobres a classe média cada vez mais na mesma, mas agarrada aos bancos. Talvez perceba a cara de horror de grande parte dos Portugueses quando viram o nó de forca do Sadam, é qua cada vez mais há portugueses com a corda na garganta e o problema é que os criminosos são outros, por isso é que em vez de GOVERNA(DOR) – deram um nome pomposo aos homens que nos enchem de DOR - PRIMEIRO MINISTRO

Cada vez mais penso que era preciso um enorme aspira(dor) para limpar toda esta poeirada que insistem em nos deitar para a vista. A incompetência anda a solta e ninguém a consegue limpar.


Apeteceu-me

“ Pior que o medo de errar, é errar por medo, esses são os verdadeiros cobardes”. Charles de la Folie



Eu hoje jogo um VALETTE
HIP-HOP com um letra violentissima contra as politicas de hoje, vale a pena ouvir

7 comentários:

A Rapariga disse...

Como diz o Hip Hop: votam naqueles que nos enrabam, não temos nada a perder, já faltou mais...bang! bang!

Políticos de boca suja, terrorismo da globalização, traz o teu povo e vem combater. bang!bang!

Precisamos de mais tropa para a revolução. Vem e traz um irmão..

Beijo e Bom Ano

augustoM disse...

Não há dúvidas, és um grande palra(dor)e a música é demais.
Um abraço com os votos de um Bom Ano Novo sem (dor). Augusto

a Prinçusa disse...

acho k é qlq coisa q nos vem no sangue, eu tnh a mania das limpezas. mas enfim, cmo dizes ha nodoas q por mais q tentemos nao qerem sair. mas tnh esperança k um dia inventem um bom detergente!

Cris disse...

A única limpeza que tenho feito com profundidade é na alma, carlos..mas bem devagar, para não sofrer...Bj e adorei tua visita..:)

Te disse...

Provocador!!!
Feliz 2007

Klatuu o embuçado disse...

JAJAJAJAJA!!! Fixe.

pvnam disse...

«««mini---spam»»»

Um FIM TRISTE no planeta

---> A História mostra muito claramente que a Parasitagem Branca (a maioria dos europeus) adora elevar artificialmente o seu estatuto na sociedade:
-> primeiro, foi através da utilização escravos;
-> depois, foi através da importação de mão-de-obra servil imigrante ao 'preço da chuva'.


---> Agora sou eu que ando a condenar a Parasitagem Branca.
---> Todavia, no futuro (quando, pela evolução demográfica, os nativos europeus forem uma minoria na Europa), serão os não-nativos naturalizados europeus, que irão condenar a Parasitagem Branca.
---> Os nativos europeus (leia-se Parasitagem Branca) serão considerados Parasitagem conspurcadora da História da Humanidade... e irão ter UM FIM TRISTE no planeta: nem sequer lhes será concedido o Direito de Voto.


NOTA 1:
-> Antes que seja tarde demais... os Nativos Europeus (que não se identificam com a Parasitagem Branca) devem reivindicar o legítimo Direito ao SEPARATISMO ÉTNICO AUTÓCTONE (a divisão dos países)...

NOTA 2:
-> O Velho Truque (branquear parasitagem... por intermédio de 'caridade'...) já não funciona!...
-> Desesperadamente (a todo o custo) a Parasitagem Branca pretende implementar a ideia de que a Substituição Populacional (que está a acontecer na Europa) deve ser considerada um «processo absolutamente natural», e não, considerada um processo resultante da acção de um bando de Parasitas no Planeta... consequentemente... eles são INTOLERANTES para com a existência de Reservas Naturais de Povos Nativos [Estados Étnicos] - para a preservação das Identidade Étnicas Autóctones.

NOTA 3:
-> Ora, se não é nada fácil criar Estado Étnicos (Reservas Naturais - para a preservação das Identidade Étnicas Autóctones)... então... aqueles que andam por aí a falar numa 'Europa Branca'... estão a efectuar uma patética fuga para a frente!!!