terça-feira, janeiro 23, 2007

ABISMO São João de Caparica

(…) A maior parte das vezes não percebia o porquê das coisas, nem das coisas nem das pessoas. Nem das coisas que dependiam das pessoas, nem das pessoas que faziam coisas… simplesmente por faze-las.





Ontem, vi a areia esvair-se, comprimir-se e esgueirar-se, sabe-se lá por onde… o mar mastigou-a, engoliu-a e…
O homem alimenta o mar que se torna insaciável, incansavelmente sôfrego e sequioso.




Estava ali sentado. No fundo como sempre e como todos os dias o horizonte, onde o céu se confunde com o oceano, ou o oceano se baralha com o céu, pelo meio o branco da espuma das ondas e o rasto das nuvens. Ali perto, os pensamentos.





Ficavam as dúvidas dos dias que vinham, que haviam de passar, do massacre da beleza da natureza. Ali sentado imaginava-me a cavalgar aquelas ondas, de uma beleza indescritível, o seu avanço, a sua sabedoria tropeçava nas hesitações humanas.





Humildade, essa pode ser a palavra-chave de quê? De tudo! O homem teima em não aprender, o homem teima em destruir em vez de construir, o que constrói fá-lo a destruir, têm medo de questionar, de inquirir, de partilhar as duvidas o homem não partilhas as duvidas nem reparte as culpas, antes incrimina com o dedo acusador o mais fraco, o homem raramente assume as suas culpas.





O voo rasante daquela gaivota não deixava ser um indício que mesmo ali sentado era indesejável.




Os cães não paravam de uivar, o vento assobiava,- a sinfonia parecia de raiva.- contrastava com o barulho das máquinas, que sem culpa, continuavam em direcção ao abismo.
Ao nosso próprio abismo.





Apeteceu-me

"O Mundo está a fugir cada vez mais depressa de nós." Charles de la Folie

10 comentários:

Adryka disse...

Olá meu bom amigo como sempre primas pelo bom gosto no teu blog as imagens são fabolosas o texto é sensível adorei. Não posso dizer que sentiste o mesmo pelo meu post! por isso te deixei lá uma resposta que gostava que foras ver.Os vídeos não mentem, são tirados daqui se achas que n/ existe vida depois de fazeres a consulta que fazer . Erros todos cometemos, é bom saber perdoar errar é humano embora saiba que só o divíno sabe perdoar. Beijos

Adryka disse...

Olá meu bom amigo como sempre primas pelo bom gosto no teu blog as imagens são fabolosas o texto é sensível adorei. Não posso dizer que sentiste o mesmo pelo meu post! por isso te deixei lá uma resposta que gostava que foras ver.Os vídeos não mentem, são tirados daqui se achas que n/ existe vida depois de fazeres a consulta que fazer . Erros todos cometemos, é bom saber perdoar errar é humano embora saiba que só o divíno sabe perdoar. Beijos

BlackRose disse...

Sim, é verdade, o mundo foge de nós a passos largos.. é assustador e magnifico!

sábias as palavras que li **

a Prinçusa disse...

pode ser q assim abram os olhos para os problemas ambientais q vivemos...

Talk Talk disse...

Para quem conhece a Costa e a frequentou durante anos é realmente triste ver aquela desolação!

(Grande versão esta dos U2/Green day)

Um abraço

Ana S. disse...

Eu continuo a não perceber o porquê das coisas nem das pessoas mas continuo a adorar imagens como essas.
beijos

Adryka disse...

Bom fim de semana

augustoM disse...

Não acredito que a Costa da Caparica não tenha solução. Deitar areia ao mar e como deitar-nos areia aos olhos. Em vez de iliminar o que provoca o desaparecimento do areal, não é preciso ser formado para se saber que são as correntes marinhas, vai-se alimentando esse mar devorador. Acaso o mar venha a invadir a costa que está abaixo do seu nível, haverá alguém que possa lucrar com isso? Até parece que sim.
Um abraço. Augusto

Adryka disse...

Então não escreves ?. Bjs

Mónica disse...

fotografias muito bonitas :-) é caso para agradecer à estupidez do homem que se atreve a desafiar a natureza por capricho de um café à beira-mar