quinta-feira, fevereiro 01, 2007

...QUE NOITE !!

(...) O sopro da noite fazia-se sentir na pele. Arrepiava só de pensar que os dois corpos se podiam fundir num só.
Aquele sorriso, aquela vontade, aquele desespero do momento em que tudo se quer, menos que o tempo termine. A imagem parou, o olhar focou os vários ângulos, as várias cores com que se escreve a palavra prazer, os vários cheiros que dão sons a adrenalina. As palavras não passam de murmúrios silenciosos proferidos pelos olhos.
A dança continua na intimidade de uma relação que se quer simples mas ousada, um esfregar da película que nos cobre a alma, se é que ela (alma) existe!
Os movimentos pretendem-se perpétuos como as cordas da guitarra de Paredes, como o “Amor em tempo de cólera” de Marquez, que nunca mais se pare, por nada nem por ninguém. Aquele momento sensível, sensual, lúbrico e voluptuoso, tornava-se por assim ser mágico como todos os momentos. Estava gravado como se fosse um “deja vu”, de muitas outras longas noites, ou noites longas de perfeito entusiasmo.
Aquela pele macia, que percorria o silêncio dos meus lábios, humedecida pelo bafo do meu prazer, modificava os tons do invólucro a sua passagem. A língua tímida procurava lentamente modificar a forma daquele corpo se aconchegar. As mãos tocavam umas nas outras entrelaçavam-se com força, quase que se esmagavam sem violência. Os peitos tocavam-se, sentiam-se, cresciam, como crescia a ansiedade de cada vez mais aquele instante não terminar nunca. O cabelo dissolvia-se pelo meu rosto, a sua língua percorria-me o lóbulo auditivo, o meu corpo entrava em erupção, as crateras libertavam cada vez mais arrepios de vontades cada vez mais impúdicas. Os pensamentos deram lugar ao um enorme vazio, não a uma ausência, mas a um vazio, como se de uma mão cheia tratasse, são as incoerências dos deleites carnais. As emoções contorcem-se como se o fim estivesse perto, os gritos não são de horror, os brutais apertões, a maquina violenta que se torna o amor, é incongruente, estupidamente incongruente, mas assustadoramente bom. Sentir, sentir-te, ter-te, possuir-te, querer-te e naquele momento, o que me veio a cabeça foi:
-“"Concorda com a despenalização da interrupção voluntária da gravidez, se realizada, por opção da mulher, nas primeiras dez semanas, em estabelecimento de saúde legalmente autorizado?"









Apeteceu-me

“Por vezes a mente cega-nos - procura uma solução onde não há problema”.
Charles de la Folie

9 comentários:

a Prinçusa disse...

concordo. e vou votar no Sim.

e sabes, adorei ler isto! adoro as coisas q escreves.

Te disse...

Texto bem escrito, corajoso e arrojado.
Bjinhos d Porto

manhã disse...

pois é! às voltas com o que escapa às palavras!

legivel disse...

Uma noite diversa de outras noites; que raramente são de interrogações...



... "Que noite!" aquela outra noite de ontem em Alvalade... mas lá nos safámos e por um resultado que ninguém adivinharia...

BlackRose disse...

magnifico, sim, como sempre.

'Porque não arranjar soluções, em vez de matar?' Lúcia Pereira, porque me apeteceu:)

Beijo*

Mónica disse...

retribuindo a visita: vazio de cores o que é?

augustoM disse...

Pois são noites como essa, que cegas pela paixão se esquece a prevenção, mas não faz mal, pode-se sempre abortar.
Um abraço. Augusto

Adryka disse...

Esta sociedade habitou-se ao usar e deitar fora o que n/ quer. Um bebé é apenas um momento de sexo, um esperma e um ovulo que nada tem de humano...
e ora existem aos milhoes, quanto mais sexo se fizer mais isso se produz
ok usar e deitar fora, não existe mais sentimento amor carinho e proteção, apenas a luxuria...
Beijokas e bom fim de semana.

Adryka disse...

Neste referendo. a ser uma coisa séria e honesta, porque querem as mulheres anonimato!Porque é que as mulheres n/ precisam da autorização do marido para decidirem, será que o marido n/ é o pai! e não terá ele os mesmos direitos?...A ser uma lei qual o problema de se saber quantos abortos fez determinada mulher, afinal n/ é uma situação legal! se mulher for operada 10 vezes consta na fixa dela...Porque n/ o mesmo com os abortos? porque os maridos não sabem? porque hoje é o salvese quem puder!...Ora nem quero pensar na falta de lealdade que irá acontecer após a aprovaçÃO da lei! ou será o homem só necessário para dar o nome e pagar a pensão! ...E nota eu sou mulher...Mas estão aqui muitas nincógnitas. Beijoka e bom fim de semana...Quantos homens vão estar a trabalhar e as suas mulheres a abortar sem a sua autorização. Mas os homens é que sabem.