segunda-feira, fevereiro 09, 2009

(Cas)cão



(…) Há uma fronteira entre o tudo ou nada, hoje, lembra-te sempre disso tocou-me o nada. Chegou-me aquele vazio de morte, a angústia de te perder sem vontade. Regressam-me vezes sem conta os teus olhos, doces e dormentes do medo de partir. Eu conheço-te, vi isso quando te voltei as costas, como se abandona um inimigo. Não há perdão para a morte, assim como não há perdão para a vida. Há simplesmente um princípio e um fim e nós estamos no meio. Ou por outra não estamos em lado nenhum, simplesmente ficamos.


(…) Chegaste como partiste… com o mesmo olhar assustado do desconhecido…

Apeteceu-me

“As palavras não tem fim, como as saudades” Charles de la Folie

18 comentários:

Vida Hi-fi disse...

Só um abraço, grande e apertado... não, um beijo, também. Porque as palavras, como dizes e bem, nestes momentos, não têm fim.
E perdem também a finalidade.
Fica bem!

Anónimo disse...

eternizaste-o em teu coração, e neste momento de reflexão, saudade e homenagem...qdo deixamos de ter fisicamente um amigo, parte de nós tb morre mas permanece a memória da alegria e da cumplicidade para nos dar alento!

fica bem
bj
fragmentus

frAgMenTUS disse...

voltei só p dizer q adoro s.bernardos!!! nunca quis ter cães pela trabalheira a levá-los à rua, e afins, mas sempre adorei esta raça e lembro-me sempre da "heidi" q tinha assim um fiel amigo.
deixo um sorriso neste fim de tarde

Daniel Silva (Sair das Palavras) disse...

Olá

Passa no meu blogue e aceita o desafio.

Ab

JC disse...

Quand temos animais e por qualquer motivo os perdemos é como que uma pare de nós também partiu.
Também a mim já me aconteceu algo semelhante e quando aconteceu disse. Nunca mais quero animais. Pasado cerca de um ano o meu filho quis como prenda de Natal uma labrador. Cá está em casa.
Quando partir mais uma vez parte um pouco de nós.
Um abraço

★ Aralis ★ disse...

...SE bem entendi perdeste o teu "amicão", acho que o meu vai ter de ser abatido, apesar de ser contra isso... Está a detiorar de dia para dia, e parte-me a alma vê-lo assim. Outrora brincalhão e vivaç, resumido a ganir incessante.... ñ me alongo...dói...

Mas ao menos temos as recordações, e o carinho sem limites que nos dedicaram, sem pedir nada em troca.
bj

Olga disse...

As tuas palavras, Carlos. Gostei, como sempre.

as velas ardem ate ao fim disse...

Olha estou farta de chorar.

Deixo te aqui um texto que publiquei já no Velas:
ao meu cão Jimmy(12.07.1990-17.10.2004)

Descansa. Dorme. Que levo o teu nome no espaço do meu nome. Descansa. Não vou deixar que te aconteça mal. Não devia ter deixado que te acontecesse mal. Uma semana. A semana. Mas havia esperança (qual?! pergunto-me agora). A esperança. Só a esperança. Nada mais. Chega-se a um ponto em que só há ela e então...temos tudo. Depois não temos nada. Mais nada. Não te aflijas, sou forte, sou capaz. Sou mesmo. Reconheço-te, porque não te esqueci. O tempo é novo sem ti e sempre contigo. Não te preocupes, eu oriento-me. Gostava que agora, apenas uma pena inconsequente parasse a olhar para dentro de mim e após olhar....segui-se em frente. Mas não. ONDE ESTÁS? Que me deixaste a gritar, onde estás? Só! Estar só é muito mais do que conseguir dize-lo. Só. Gostava de te ver. Precisava de te ver. Mas não. Nunca mais. Nunca mais. Dorme. Foste tanto. Dorme. Eras um pouco imenso em mim. Descansa. Ficou a tua vida em mim. Ficaste todo em mim. Nunca esquecerei.

Deve ser isto que sentes.

abralo mto apertadinho

frAgMenTUS disse...

abraço apertado sentido em teu coração e imortalizado nas palavras.essa foto q acrescentaste é bonita. bj

frAgMenTUS disse...

mimo p/teu blog no meu :)
bj e dia feliz

Natália Augusto disse...

Obrigada pela sua visita ao meu blogue e pelo seu comentário.


A morte é inexorável e incompreensível independentemente da causa, do ente querido, da idade!

Fica, de facto, o vazio. O estar aqui por mais um tempo com ou sem razão, vivendo ou fingindo que se vive. Por vezes, vegeta-se; outras há, em que apesar de tudo, há que lutar.


Há também quem puxe por nós. A família, os amigos que não querem ainda que partamos, como se imaginariamente pudéssemos partir todos ao mesmo tempo.

Boas escritas.

Anónimo disse...

Estou há pouco tempo no mundo dos blogs ... encontrei o seu e começei a ler .
Estou a escrever este pequeno comentário pq fez-me recordar o sentimento que tive há dois anos com a perda da minha boxer , que amava muito , fazia-me a vida negra , mas tb fazia-me rir bastante.
As saudades são muitas, ainda hoje sorriu quando me lembro dela ....era fantastica e unica .
Força para este momento menos bom !!!

Blue Butterfly

Cris Animal disse...

Oi Carlos !
Não sei extamente o que o levou até meu blog, mas pelo seu último post, talvez eu saiba!
Queria deixar pra vc uma coisa linda que um dia recebi, quando perdi um dos meus animais.
Acho que vc vai gostar e de certa forma, pode ser um alento.

“Eu me dei conta que cada vez que um dos meus animais parte, ele leva um pedaço do meu coração com ele.
Cada vez que um animal novo entra na minha vida ele me abençoa com um pedaço do coração dele.
Se eu viver uma vida bem longa, com sorte, todas as partes do meu coração serão de animal, então eu me tornarei tão generoso e cheio de amor como eles."
Autor desconhecido

Os animais são os úniucos seres dignos que ainda habitam este planeta. os únicos que seguiram o código de ética, amor, respeito e gratidão que um dia nos foi dado para habitar este espaço.
Um animal, para mim, vale a minha vida.
Sinto pelo amigo, mas acredite. É só um tempo. Um instante neste imenso tempo para que vc possa um dia reencontrá-lo.
Amor que é pra sempre!
Beijo enorme pra vc
.............Cris Animal

Estou linkando seu blog

Índia disse...

Sinto muito, ja passei por uma perda assim. Nao eh facil. Espero que fique bem.

Beijao.

Tatiana disse...

Poxa...que triste!
Era um belo cão!
Eu também tenho uma companheirinha, dócil e super fofa...não consigo imaginar a vida tul sem ela.
Um abraço carinhoso e solidário!

Tatiana disse...

Poxa...que triste!
Era um belo cão!
Eu também tenho uma companheirinha, dócil e super fofa...não consigo imaginar a vida tul sem ela.
Um abraço carinhoso e solidário!

Tatiana disse...

Ops...esqueci de agradecer a visita e palavras sempre tão atenciosas!
Obrigada!

★ Aralis ★ disse...

Um abraço ...
O meu amigo faleceu ontem(13/03/09) depois de 15 anos....

É duro...

Um beijo