sexta-feira, junho 26, 2009

Ódio (Inveja)


(…) Rebentou com o último sorriso passava pouco das cinco horas da tarde. Não era o sorriso que a preocupava, mas a falta dele – pensava. E se não voltassem mais? E se tivessem partido para longe, tão longe – na terra de «coisa» alguma – onde ninguém os conseguisse resgatar. A vida prendia-se num «Se» demasiado pérfido, quase intolerante. Afinal era isso que lhe consumia o brilho do seu corpo, de todas as palavras que se iam rescrevendo naqueles pequenos silêncios. Era o dia mais longo, daquele próprio dia.

(…) Fixou por um breve instante a expressão da sua face. Estava em agonia – num conflito – com o próprio espelho. A insegurança que se foi acomodando em si ao longo dos intermináveis meses. Estava representado naquele olhar. Numa tela sem cores, sem desenhos, sem representações, apenas ela mesmo em tons pastel. Inviolável e impenetrável pela surdina dos comentários recheados de malevolência e cobiça.

(…) Semblante fechado, naquela imagem quebrada há segundos atrás. Estilhaçada em milhares de cacos, produzindo um puzzle mental sem resolução aparente. Um dia apenas é o necessário para tudo se perder. Um apelo reproduzido no seu próprio eco penetrava lentamente na música do seu corpo. Na fronteira entre a indiferença e o passo em frente, ou as duas juntas num linha paralela. A culpa é um vicio.

(…) Apenas um minuto depois das cinco, o sorriso voltou como sempre. O Sol ultrapassava a teimosa nuvem que se acantonara na sua frente. O passo era largo, mas pausado. Os pensamentos desconexos de uma realidade que não a sua. A coerência da sua vida era suportada pelo seu respirar. Havia porém uma nuvem branca, onde sentado, descansava a vista sobre a cidade e que cidade.


Apeteceu-me


“Que importam as pessoas se não te importas contigo mesmo!” Charles de la Folie

4 comentários:

Tatiana disse...

A leitura trouxe um sorriso para os meus lábios.

A frase com a qual terminaste o post... é tocante!

Feliz seja o teu dia!

Um abraço carinhoso

Anónimo disse...

Um minuto basta para pintar um sorriso...

Anónimo disse...

E porque um sorriso vale sempre a pena...deixo-te sorrisos mil!
Belas, uma vez mais, as tuas palavras.
um abraço

Mais um Lugar de Mim disse...

Novo slogan para o leite Matinal?...
Beijinhos, em tom de provocação!
:-D