terça-feira, outubro 03, 2006

Segredo

(…) Quando olhei, nada vi, mas a verdade era inquestionável!
Senti os seus lábios quase a roçar a minha orelha, sopravam palavras que perfumavam a minha imaginação.
Há imagens de sedução que raramente esquecemos, como pequenos sinais e pequenas diferenças que no dia a dia nos fazem grandes mossas. Era um segredo, aquelas palavras faziam todo o sentido, mas ao mesmo tempo desconcentravam-me e desorganizam-me toda a lógica do que era soprado… de um raciocínio que era para ser guardado.
Excitava-me só de pensar que aqueles lábios poderiam descontrolar aquele meu ar sério que gostava de ter, que exigia de mim ter, que gostava de ter para me diferenciar de todos os outros. Mesmo assim era eu que ali estava, meio destabilizado, com o meu metabolismo completamente alterado e alternado.




Aquela pequena aragem que saia da sua boca, provocava-me arrepios na alma, tornava-se numa enorme tempestade dentro de toda aquela postura já de si muito debilitada, enfraquecida pela sua própria mentira.


No fundo era, sim eu no fundo era um ser frágil. A velocidade que o sangue percorria todas as minhas veias e artérias era alucinante, a capacidade do coração bombear a um ritmo fora do comum era presságio de uma catástrofe dentro de todo meu sistema nervoso. As palavras tornavam-se num som empastelado e distorcido demasiado grave para ter melodia.
Pela primeira vez senti o meu corpo imóvel, todo o seu exterior estático enquanto por dentro a ebulição continuava. Estava sentado, numa pequena cadeira, estava de braços cruzados, a mão direita descansava ao longo do músculo do braço esquerdo enquanto, no outro lado se dava o inverso era o músculo que descansava sobre as costas das mãos.
Os pés cruzavam-se no artelho. A cabeça estava reclinada para trás amparada por aquela parede enorme pintada a caliça. O cheiro era de Outono, cheirava a terra molhada, o ar pesado, estupidamente pesado. Estava ali de olhos fechados a tentar entender todos aqueles sons que estava a ser bombardeados para dentro de mim.
De repente algo me fez sair daquela posição imóvel, fiquei pálido. Finquei os dedos nos braços da cadeira, por momentos pensei que ia ficar ali prostrado, aquelas palavras pareciam tiros em direcção a nada…
Eram palavras esclarecedoras de coisa alguma, até porque teriam de morrer comigo ou não fosse um segredo. Mas continuava a espera que aquele segredo continuasse pela vida a fora.

Apeteceu-me

"Posso sempre esconder-me entre as minhas palavras." Charles de la Folie

12 comentários:

Santo Falo disse...

Isto tá precisando de animação. Já estou treinando pro sábado...

Guillermo de Baskerville disse...

Raras as vezes percebemos os ventos. Pequenas, ou grandes rajadas, todas nos tocam a alma, mas de nenhuma percebemos o significado... Triste diálogo este, que teimamos em rejeitar por estúpida ignorância dos suspiros do mundo!

Para muito longe me tem levado o vento. Muito tenho visto, muito tenho aprendido.... Muitas saudades tenho criado!

É sempre bom quando voltamos e vemos que ainda tudo tem magia.

"As velas do meu barco são fortes! Não há nortada que abale os mastros do meu pensamento! E tudo são suspiros à minha passagem! Porque eu sou!" - Aharon

Cocas disse...

Conservar algo que possa recordar alguém... seria admitir que nos pudemos esquecer...

Gostei :)
Bjs

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

um...

´´´´´´ ¸.•“´..--^--..`“•.¸
´´´´´´)______Beijo______(
´´´´´´ `“•.¸.______.¸.•“´

Ana P. disse...

Gostei...

beijos

augustoM disse...

...aquela aragem que saía da sua boca,provocava-me arrepios na alma...entropecido pela mentira...de repente algo me fez sair daquela posição imóvel, fiquei pálido...mas continuava à espera que aquele segredo continuasse pela vida fora.
E o sonho continua.
Um abraço. Augusto

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

_____BOM__FIM DE__SEMANA!
_____LET__THE__SUN__SHINE
______IN___YOUR___SMILE___
____8888888888888888888888
_____88888888888888888888
_______8888888888888888
_________888888888888
______________**
____####______**______####
___#######____**____#######
____#######___**___#######
_____######__**__######
________#####_**_#####
__________####**####
___________###**###
____________##**##
_____________#**#___________

Inexitah disse...

apeteceu-me...

A Rapariga disse...

Não consigo comentar! Não consigo mesmo comentar!

Descobertas sobre descobertas nos teus escritos surpreendentes.

Boa semana

Alma da Terra disse...

Saudações!
Obrigado por compartilhar um pouquinho de seu espaço comigo
::::::::::::::::::::::::::::
Tenha um Lindo dia
Cadi
:::::::::::::::::::::
Alma da Terra

Binoc disse...

Olha o meu grande amigo :) [[[[[[[]]]]]]

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

shhhhhhhhhhhhhhhhh
shhhhhhhhhhh
são segredos meus
não vou desvendar
shhhhhhhhhhhhhhh
shhhhhhhhhhhh
são segredos teus
tens que os guardar
shhhhhhhhhhhhhh
shhhhhhhhhhhh
são segredos meu anjo
shhhhhhhhhhhh
shhhhhhhhhhh
segredos que não vamos contar...
shhhhhhhhhhhh
shhhhhhhhhh

beijos