terça-feira, setembro 25, 2007

Real vida

(…) Sentia o cheiro, de um lado pinheiros, do outro pequenos molhos de flores silvestres amarelas. Um odor intenso a campo. Seguia num passo certo, não muito rápido mas decidido. Pequenos pássaros saltavam entre arbustos. Do meio da mata vários sons, por entre as folhas secas que se encontram no chão. O corpo sua, vai-se derretendo lentamente. A sua alma eleva-se na busca da sua calma. Sente-se, antes de se corromper. A respiração torna-se mais forte. O peito roça na pequena camisola de alças que lhe cobre o busto.

(…) Entre a terra e a erva, onde os pés se vão cravando conforme segue em frente. Quero percorrer outros caminhos. Ruborizo com os pensamentos que me ocorrem. Aquela aragem, o meu cheiro, a minha vontade e o desejo de ser única naquela paisagem – violam-me a serenidade da ocasião. Baixo-me para apertar o atacador, sinto o suor que desce do abdómen em direcção a mim. Percorre-me como uma leve pena. A respiração torna-se mais profunda.O aroma dos pinheiros penetra-me e entra nos meus pulmões.



(…) Fecho os olhos à procura dos silêncios daquela manhã. Ouço mais uma vez o despertar do meu corpo, o desabrochar dos meus poros que emanam cheiros de volúpia. Preciso de ser apreciada por quem me merece. Parada naquela pequena clareira de avanços e recuos, segue-me o ruído das agulhas caídas dos pinheiros. Respiro fundo. Mãos na zona lombar, olho para cima, estico o tronco. Os peitos sensíveis e duros, o roçar fere. Toco-lhes, percorre-me um irremediável tremor pela espinha.

(…) Poisa uma rola num tronco defronte a mim – observa-me. Sinto-me desejada, fecho os olhos. Sou eu que me desejo. Só que não sei como. Os calções justos, que descem por mim até ao joelho afagam-me e afogam-me os movimentos. Percorro mais uma vez a cúpula das árvores, revejo o céu azul. Ajeito-me dentro de mim, alongo-me em direcção a nada, o corpo cede, range e estala. Invade-me a angústia de me redescobrir na minha imensa solidão.



(…) Concentro-me em mim, no meu eterno e terno desejo. Começo a querer saborear o sal que sai de mim. Perna atrás de perna, sistematicamente em passo de corrida, faz sair ainda mais de mim para fora. Todo o centro de mim roça, em toda a minha sensualidade. Como o galope de um cavalo. O vento faz esvoaçar os meus cabelos que se vão prendendo, quando em vez na boca. Humedeço os lábios secos do cansaço, percorre-me novamente o silêncio do campo. Deixo-me ir em direcção à minha vida real.





Apeteceu-me




" Entre o desejo e o sentimento percorre-nos a realidade muitas vezes cruel". Charles de la Folie

11 comentários:

♥≈Nღdir≈♥ disse...

Continuo em recuperação da cirurgia que sofri, mas mais calma agora que regressei a casa após ter estado 2 semanas ausente.
Ainda me encontro um pouco atordoada, mas aos poucos vou regressando, hoje ao retornar ainda me fogem as palavras… por isso desejo apenas um bom fim de semana
••. ¸.♥ Beijos ♥ ¸.• ♥≈Nღdir≈♥

Assessora Oriflame disse...

Olá! Venho agradecer a visita ao meu blog e dizer que tem toda a razão. Normalmente, no que se trata de beleza e bem estar, os anúncios em geral referem-se maioritariamente a mulheres, apesar de hoje em dia os homens se preocuparem mais com a sua aparência. Prometo publicar posts sobre produtos para homens brevemente, pois a Oriflame também tem uma variadíssima gama de produtos masculinos e também os homens podem ser Assessores de Beleza desta marca.

Aguardo mais visitas suas. ;-)

Micas disse...

Por isso se diz que :"O sonho comanda a vida"...

Afrodite disse...

La folie de Charles (VI, Baudelaire ou Barros?)

Une sage et belle folie, pourtant.

Eric Blair disse...

Nem de propósito!
Não deveria ter deixado passar tanto tempo sem te visitar.

Blueshell disse...

Meu amigo....Long time, no see!!!

è sempre um prazer vir aqui. tenho andado "perdida"...
Beijo, BShell

Mikas disse...

Um beijo inebriado pelas tuas palavras

sofialisboa disse...

vim retribuir a tua visita e gostei, achei que era um homem que escrevia, mas encontrei escrita feminina, acho que me baralhei ou alguém se baralhou? gosto dos sentidos escritos nas palavras, volto mas não sei o que vou encontrar, se uma mulher se um homem...sofialisboa

Parvinha da Silva disse...

Soit Barros, plein de couleurs.

Jasmim disse...

Ainda bem que lhe apeteceu. Bonito.
Gosto da frase

♥≈Nღdir≈♥ disse...

... porque na realidade faz sentido sonhar...
bjx