segunda-feira, agosto 01, 2005

ROCK em STOCK


Ele ai está, o mês mais esperado, mais… mais que tudo, o mês onde todos esperam descansar de todas as formas e maneiras e feitios. Procura-se a Praia o Campo, procura-se o subsídio de férias, enfim procura-se uma forma de descansar e estar descansado. É nesta altura que gosto de rodar o botão do rádio e ouvir as musicas que nos deixam felizes, bem dispostos, nos fazem “pregar pulos” e suspirar.
Há muitos, muitos anos tinha um ídolo, chamava-se e chama-se Luís Filipe Barros.
Lembro-me do tempo em que levava o rádio a pilhas para o Liceu com aqueles auriculares que mais parecem “sonotone, para poder ouvir o “Rock em Stock”.
O Rock e as Ondas Luisianas, fizeram parte do meu crescimento, talvez por isso cresci feliz. Lembro de percorrer as discotecas onde ele ia animar a malta para poder regatear um olá ou um segundo de conversa, poder dizer: - um dia quando for grande gostava de trabalhar na rádio, ou outros disparates do género, mas lembro-me perfeitamente como se fosse hoje, que nunca me voltou a cara, nem nunca me sacudiu.
Passaram muitos anos, o Luís, hoje é o Luís ainda claro, é o meu Tio é assim que lhe chamo todos os dias, aquela personagem simpática e bem disposta que todos gostamos de cumprimentar e de estar, sentimo-nos bem ao pé dele, não mudou nada… ainda bem, ainda bem que há gente assim, gente bem formada, com encanto e que nos dá vontade de ir trabalhar, para nos podermos divertir a trabalhar, sim o trabalho deve-nos divertir, se isso acontece é porque gostamos daquilo que fazemos.
Um “homem” como o Luís Filipe Barros podia viver daquilo que fez, daquilo que foi, do que percorreu, de quem conheceu de onde andou e com quem. Acho que ele conheceu personagens da música que pensamos ser impossível. Mas “ele” o Luís continua a trabalhar com o mesmo gosto de sempre, 20 anos depois, reeditou as “Ondas Luisianas” e que maravilha ele partilhar aquelas músicas connosco, que coisa deliciosa escutar aqueles sons que nos fazem voar. Só tenho pena das novas gerações serem tão desligadas, ou por outra serem tão ligadas ao seu umbigo, tenho mesmo pena. A ignorância por vezes assusta e pior que isso é não fazerem nada para o deixar de ser, não perguntarem quando não sabem mas a vida é assim anda para a frente e é tomada de assalto por quem não tem competência, pelos “amigos” e Homens como O Luís Filipe Barros, vão ficando para trás.
Mas a vida é feita assim, um dia esses “incompetentes” vão acordar e dizer eu trabalhei com o Luís…. Eu espero poder continuar a dizer ele é meu amigo.


Apeteceu-me

"A incompetência é uma outra forma perigosa de cobardia"

Charles de La Folie

23 comentários:

A. Duarte Lázaro disse...

É sempre bom ter ídolos, pessoas que admiramos e cujos passos desejamos seguir, pessoas que nos fazem acreditar e querer avançar com os nossos sonhos e fazer dos sonhoas projectos e dos projectos objectivos alcançados. Fico feliz por também tu teres tido alguém assim na tua vida, poderes ter-te tornado amigo desse ídolo e~não te teres desiludido.
Também tenho alguém assim. Não alguém cujos passos profissionais desejo seguir. Mas alguém que admiro a muitos níveis. Alguém que sempre me ensinou a seguir os meus sonhos, que me apoiou em todas as decisões, alguém que acredita sempre em mim e no meu valor: o meu Pai.

Um grande abraço, Carlos.

P.S.: Tenho pena que a tua geração e as anteriores à tua se mostrem tão desiludidas com a minha geração e as anteriores. Também entre nós há muita gente com potencial, com valores, com sonhos, com projectos e com ídolos como tu, como o Zé, como o Luís Filipe Barros, como o meu Pai. (epah... faltam aqui mulheres...)

Raquel V. disse...

Até me sinto mal de colocar isto aqui... logo num dia como o de hoje... que tem a ver com "pessoas"... mas cada um pelas suas razões... e se umas são estranhas outras são boas, como as que escreveste.


Mas ainda assim aqui vai:

@pluggyplace
------------------------
Lindo... Carlos... com as loucuras que escreves se soubesses o que é um gato eu ficava pasmada... hehehe... e ainda vou ter q ir repetir isto no teu blog... heheh
----------
Não podia ficar em branco! Quem finje que n sabe o que é gato é um malvado sem nome... ai gatos coisas mailindas!
(ainda te havia de obrigar a explicar-me o que leste bem no post! :P hihihihi)

sylpha disse...

E a mim apeteceu-me vir espreitar e deixar um enorme sorriso. Já tinha saudades destes pêssegos ;) Beijinhos :)

pachita disse...

Carlos, desculpa, mas não posso deixar de concordar com o A. Duarte Lázaro. A tua geração censura a nossa (30 anos, ou menos) assim como a geração acima da tua censura a tua. O que eu quero dizer é que todas as gerações hão-de censurar as seguintes, por mais ou menos valores que possam ter. Hoje já não há rock em stock (eu também ouvia quando andava no liceu apesar de ter apenas 33) mas há outras coisas e há gente com valores, há miudos e miudas com valores, iguaizinhos a ti há 20 anos atrás. Com sorte, hão-de dizer que tu és o ídolo deles, ;). Censurar as gerações mais novas é recear o futuro, recear o futuro é ter medo de envelhecer. Desculpa, Carlos, gosto muito de ti e das palavras que escreves, mas tive de dizer isto.
Beijinhos (e desculpa se fui muito sincera)

Platero disse...

Como é bom recordar!

O Rock em Stock foi um dos programas dos meus programas de culto e que me ensinou a ouvir música.

eduardo disse...

realmente... deixaste ha mt mt tempo um coment no meu blog :) vim ca redimir-me :)

Tens uma escrita muito fluida :) séria e fluida :) boa junção... parabens.

Talk Talk disse...

Um geração é sempre aquilo que a anterior deixa ser. Não há um quebra total, os valores vão-se perdendo, ou melhor têm vindo a perder-se. Mas ainda existe gente com menos de trinta anos que se lembra do Rock em Stock, que se delicia a ouvir o "War" ou o "Joshua Tree" ou que simplesmente prefere uma boa caldeirada a um hamburguer da Macdonald´s.

Talk Talk disse...

Concluindo o comentário anterior... Gostei de visitar o teu espaço. Um Abraço.

A. Duarte e Lázaro disse...

Palavras sábias as da Pachita...
Mas não foi para isso que voltei. Voltei para a crítica habitual aos artigos de opinião do VOZ. Sou uma privilegiada...

Começo pela Teresa: é difícil comentar-te pois é impossível evitar a repetição. Não encontro muitos mais adjectivos ou advérbios para comentar a tua belíssima escrita e o seu conteúdo sempre actual, pertinente, inteligente e acutilante. Soberbo.

Carlos: epah... a sinceridade é um dos valores que cultivo e é presença obrigatória nas críticas que faço pois não sou desprovida de intelecto como às vezes me querem fazer parecer. Até parece que vou dizer algo muito mau... (hihihi). Rio-me sempre com os teus artigos pois o humor faz parte do teu estilo "literário", assim como o uso de uma escrita fluída. Escreves ao sabor e à velocidade dos teus devaneios lógicos... isso faz com que a tua escrita seja agradável de ler pois~provoca a sensação de que estamos a ouvir. Porém, por vezes o teu raciocínio é tão rápido que se torna difícil acompanhar-te. Foi o que aconteceu desta vez... É complicado rever-te. ;P O Zé Alberto que o diga! (eheh)

Beijinhos para ambos

Anónimo disse...

"ONDAS LUISIANAS" aos sábados e domingos, das 10 às 12h, na Antena 1...este Verão...

beijos

Ricardo Leal disse...

Espero que os meus sobrinhos digam o mesmo de mim!

Abraço

Desfiladeiro disse...

Muito interessante, colega!

Binoc disse...

Malandro... antecipaste-te a um post que queria escrever sobre programas de rádio que ficaram na minha memória. Foram eles, o "Pão com manteiga"; Um do Zé Nuno Martins, sobre Música Popular Brasileira, cujo nome já não me recordo; E obviamente... o "Rock em Stock" do Luís Filipe Barros, o ídolo com pés de barro (como ele gostava de dizer). Tenho vivo na minha memória um flash, como se fosse agora mesmo, de estar no meu quarto a estudar e o Luís a passar os Clash (Spanish Bombs). Foram tempos incríveis, a época da explosão do rock português, não foram Carlos ?
O surgimento da Rui Veloso e depois toda aquela avalanche, parecia que todos os dias surgia uma banda nova... Os Táxi, UHF, GNR, Rock & Varius, Trabalhadores do comércio, Jafumega, etc, etc.
Obrigado por este post Carlos, por momentos fizeste-me viajar no tempo. Abraço
(1962 hehehehehe )

pipetobacco disse...

{ ...

sempre boa fruta (aqui)

:)

é bom voltar aqui (com apetite)
saciar-me de teus pêssegos (da tua arvore)
e agora aqui debaixo dela (na sua sombra)
de barriga cheia e sorriso na cara
estou satisfeito
sim
refeito

© temporal

abraço

... }

{ ... (underlined tree) ... }

Isabel-F. disse...

Oi Carlos...

Tinha-me esquecido deste homem da rádio... fizeste-me recordá-lo... com saudade...

Obrigada pela tua visita e cometário lá no meu sítio...

Bjs

TMara disse...

smp bom e justo lembrar as boas vozes. Bjs e;)

Adryka disse...

Olha amigo, eu concordo contigo, tens a tua opinião achei bom a colocares. parabens pela frontalidade.
Beijos

Márcia disse...

Aqui, o mês esperado é janeiro.
Beijo, do outro lado do mar.

Márcia disse...

Aqui, o mês esperado é janeiro.
Beijo, do outro lado do mar.

Caracolinha disse...

Obrigada por me fazeres recordar um grande homem da rádio que também eu me lembro muito de ouvir !!!!

Beijinho Encaracolado ~:o)

teresa disse...

vou usar este espaço apenas para agradecer à minha leitora especial a. duarte e lazaro os comentários simpáticos que tem dirigido aos meus artigos

Viuva Negra disse...

O rock em Stock é que era sem dúvida um programa do cacete ...

CALHAU DA AREIA disse...

ainda estamos vivos...........antena 1 "ondas luisianas" é que gostinho,guardem,guardem..................