sábado, janeiro 28, 2006

Crontraste




(…) Nem sempre há tempo para te procurar. Nos últimos dias a cabeça chegou ao limite da realidade, parece que a qualquer momento se vai transformar numa enorme ratoeira.


(…) Estava quieta muito quieta, há muitos anos que não se mexia. Era linda!
Aquele corpo parecia esculpido pelas mãos de Deus, a sua pele lisa, como o mármore.
Aquelas mãos, aqueles dedos, aquele olhar. O cabelo perfeito, tão perfeito que nem com a brisa que chegava de norte o desconcertava. Era o desnorte.
Um olhar repleto de magia, sentir aquele olhar de fascínio entrar e rasgar o teu corpo como lâminas afiadas, em parte incerta no inferno.
Por vezes a tentação de passar com a mão por aquele corpo era muita, mas seria trair-me e trair os princípios que já não sabia que tinha.
Era difícil balbuciar um som perto dela, quanto mais falar-lhe, então porquê tocar-lhe!? Talvez fossem esses alguns dos princípios que um dia pelos vistos teriam um fim. Acabavam, acabava, fugia da sensação de a olhar, de a venerar de um dia dizer o que sentia. Mas um dia, esse dia que fugia e nunca mais voltava parecia ser parecido com o ontem. Claro, cada vez que pensava no amanhã, perdia-o por me contornar e passar a ontem era difícil, este presente que fugia constantemente debaixo dos meus pés.
Mas… ali estava ela, sozinha, com aquele seu olhar impenetrável e distante, frio mesmo. Aquele por de perna que atravessou gerações, chegava todos os dias e todos os dias não ia a lugar algum.
Guardava-a só para mim, ali sentado naquele banco frio, onde lia o meu livro vezes sem conta, mesmo sabendo que dali não fugia, deitava o meu olhar por entre aquelas lentes já gastas de tanto sonhar.


Apeteceu-me


“O olhar frio por vezes faz-nos repetir vezes sem conta os mesmo erros” Charles de la Folie.

21 comentários:

JL disse...

Bonito texto Carlos. Revi-me nalgumas dessas sensações que partilhaste. Bom fim de semana

Su disse...

cuida-te...com o frio podes virar rato:)))
jocas maradas de ratoeiras

Binoc disse...

Sabias que acertaste no resultado do Sporting com o Benfica ?
És um verdadeiro Guru.
hehehehehehehe

a Prinçusa disse...

olha, a mim fez me lembrar o 'fala com ela'.
nao sei porquê.



um bjinho*

tovarisch Brezjniev disse...

andas é com falta de coiso...
pensei que ias falar de bola.
olha, dia 31 tenho onde ir...

Paula Raposo disse...

Tantas vezes repetimos os mesmos erros porque o olhar não chegou a aquecer...sempre frio. Sem dúvida. Beijos.

indie girl disse...

eu bem tento arranjar palavras para comentar..mas não consigo..logo é bom...muito bom

Tia Concha disse...

Não sei porque, mas imaginei a cena em que "Marcello Rubini" observa a "Sylvia" na Fonte di Trevi.

Tão bela, tão triste, tão inatingível...

La Dolce Vita
Viva Fellini.

Eli disse...

Procurar?

Carapaus com Chantilly disse...

Belo texto :)
Parabéns!
CP

R disse...

Passei aqui para te deixar um beijinhos e votos de uma optima semana.
parabens pelo belo texto:)

musalia disse...

sonhando com mulheres fatais do celulóide? ;)
beijinhos.

Binoc disse...

Impressão minha ou cê tá tendo mais visitas do Brásiu no seu blog hein ?
hehehehe, Aquele abraço

Eva disse...

gostei!

Eric Blair disse...

Mais uns ricos pêssegos!

rolinha disse...

obrigada pela no visita...
volta SEMPRE!! :)


tens aki um blog interessante. divertido... :)


***

Carmem L Vilanova disse...

Passei para deixar-te beijos, flores, sorrisos e os votos de um lindo fds! :)

Ricardo Leal disse...

Como sempre...

augustoM disse...

Amar o virtual na esperança do real que foge por entre as nossas indecisões.
Um abraço. Augusto

contadordehistorias disse...

se as palavras fossem mãos não é?

abraço

Eric Blair disse...

A verdadeira Tarzona.