domingo, junho 05, 2005

LOUCURA III

Loucura III



(...) Antes mulher que um híbrido qualquer, lá vou eu falar do energúmeno, coitado é tão bonitinho quando dorme , que lindinho, é mesmo uma pequena maravilha, por mim ficava assim “adi eterno”, estava capaz de lhe dar uma marretada, mas o melhor é não pensar nisso coitada da marreta, aliás coitado de tudo o que lhe toque mas interrogo-me eu porque não o mando para ... pois para, era o melhor a fazer, pelo menos começava a ficar menos stressada, mas enfim. Vou beber o meu cafézinho à sala e ver se há brocas ou não, oh não ai que horror, até fiquei vermelha o café ia-se baldando todo para fora, e ai “jesus” os apetrechos todos por ali a rebolar, pelo chão e pelo sofá, ainda bem que não veio a empregada, que ninguém foi convidado a entrar e o energúmeno está a dormir, porque ia ter uma coisinha ruim, quer dizer podia sempre dizer que aquilo era do outro que anda atravessar uma fase má da vida, podia ser uma coisa assim do género, eu tinha aqueles apetrechos todos? Nunca tinha dado conta, até uma coisa para coisar as coisas? Onde é que eu arranjo isto? Estava a ficar enervada em todos os sentidos, aquilo estava-me a deixar nervosa até estava com medo de agarrar aquela coisa, e o que era verdade, é que aquilo ali me deixava atarantada, deve ter sido uma noite e pêras eu sempre disse que o champanhe me põe doida, ninguém me ouve. Ninguém me liga o pior é que nem eu e pelos visto dei utilização aquilo tudo e de que maneira, e de que maneira, bom mas o cheirinho a sexo, que se passava naquela sala nada, era bom era agradável além de me excitar muito, não tinha aquele cheiro que de quando em vez fica no meu quarto, um cheiro horroroso, a bedum misturado com, sei lá o quê, ali via-se que a coisa tinha sido requintada comigo própria até velas, milhares de velas, estava a ferver, apetecia-me loucamente, era trágico, era mesmo trágico, umh deixa-me ver para que isto serve, três bolinhas num cordel, parece que não precisei de livro de instruções ontem. Aqui há duas coisas ou tenho dupla personalidade ou então, ou então o champanhe faz-me uma nova pessoa, constrói-me uma nova alma, uma desavergonhada, mas uma muito boa desavergonhada, adorava conhecer-me, adorava olhar para os meus disparates e introduzir novos dados na minha vida era óptimo, parecia que lhe dava um novo código genético, quer dizer, dava-me muito prazer e dá-me, nem imaginam quanto, não sei bem se é quantitativo, achom que não a escala de prazer é mais ou menos pessoal. Não me estou a ver dizer a alguém: - é pá tive um orgasmo do tamanho de um melão, ou – tive um orgasmo daqueles que tinha mais ou menos o tamanho da tua televisão. Não quando é bom é bom, quando é muito bom é mesmo muito bom, é o que eu penso, e como terá sido ontem? Pela disposição dos apetrechos de tudo o que me rodeia, das velas, sei lá , do que se passou ontem, até tenho medo de dizer, mas, pois. Outra coisa que me está a intrigar é um coisa fálica que está por ali com uma ventosa, na extremidade mais grossa, ai que me dá uma coisa, aquilo é para se segurar em qualquer lado e.... acho que aquele até dá prazer no tecto. A noite foi mesmo boa já percebi, até pela leveza que me sinto estou meio, abananada, mas uma garrafa de champanhe faz mossa, claro que faz, mas esta boa disposição, e só precisei mesmo do café e agora esta bela ervita, para dar o toque final, não é normal, não costumo andar por ai a fumar ganzas, mas há dias e dias, e este é um desses dias, têm todos os ingredientes para um dia em cheio.
Têm uma historia rocambolesca que vai dar que falar, têm uma data de gente com ressacas que até doem, vai haver por ai ciumeira que é obra, anda por ai uma mulher para cima e para baixo que não faz a mínima ideia da bomba que trás na mão, o energúmeno está a dormir que até parece que está morto, não fosse aquele ronco que parece uma traineira em perfeita laboração.


APETECEU-ME

"Porquê Pensar se podemos sonhar?" Charles de la Folie

30 comentários:

Hipatia disse...

"apeteceu-me"?

Acho bem, estes apetites :)

A. Duarte Lázaro disse...

Olha, olha... mais uma música daquelas... LOL
Esta psiquiatra tem uma vida louca...

MWoman disse...

Essa para psiquiatra está muito bem! Para tolo, tolo e meio...digo eu que também não sou bem bem...;) Hehehe...

Rosie disse...

"You drive me crazy..."
Dão com ela em doida, coitada, e dps é o q se vê... :D
*

Cetus disse...

cheirinho a sexo? fumar umas ervas? vai lá vai a barraca vai abanar!

Anónimo disse...

"Eu não percebo estes bandalhos. Se há jornalistas cujas mães são putas, eles são, logicamente, Filhos da Puta" - Quitéria Barbuda in "Os Filhos de Monsanto e os Seus Amigos", Revista "Espírito", nº 4, 2005.

www.riapa.pt.to

Su e Kaká disse...

*´¨)
¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` ***
-----\\\\|/-------
------( @@)-------
---ooO--(_)--Ooo
Adoramos seu blog
queremos te oferecer
nosso award e selinho
mil bjs

paperl life disse...

Isto já não é para a minha idade...até me podia fazer mal...e se não fizesse?...hum! pois...

;)

A. Duarte Lázaro disse...

Oh, pêssego! Não digas mal dos meus meninos...

mfc disse...

Concordo... os meninos são mais bonitos a dormirem....

Anónimo disse...

A psiquiatra é boazona?
Onde é que ela está?
Olha aqui o teu cunhado famélico, pá!
Abraços

Anónimo disse...

A psiquiatra é boazona?
Onde é que ela está?
Olha aqui o teu cunhado famélico, pá!
Abraços

zezinho disse...

Apre...deve ser mania de triplicar. Ou será velhice?
Hum,....

Bino disse...

Sempre boa música. Curto Fine Young Cannibals, sim senhor. Qualquer dia tenho de falar de música no meu blog. Um abraço, carlos.

O Vizinho disse...

Txiiiii... o farrabadó que práqui vai!
:-)

http://Diario365.blogs.sapo.pt disse...

Não me apetecia sair, porque a história é suficientemente enervante, para ter que voltar atrás e ler a 2ª. vez (rssss) e a música calmante!Uma dupla básicamente anestesiante. Tenho uma família de energúmenos, mas os que partilham o ressonar comigo, têm que ter códico de barras e etiqueta com NÃO sou energúmeno. Gostei e agoar lamento não vir aqui mais vezes, não me vou perdoar para a próxima, a solução mesmo vai ser linkar.Boa semana :-)

galinha disse...

Ninguém me dá o número dessa senhora? Fiquei curioso com o "cheirinho a sexo" que vai neste texto...
E a palavra "bedum" ainda povoa o meu imaginário.
Parabéns pelo bom trabalho.

Ficarei visita.

João Miranda, co-autor Galinha Estéril

Poemas de amor e dor disse...

Vim agradecer a visita e na ressaca aproveitei para sorrir.
Um abraço
Rogério SImões

Caiê disse...

Todas as psiquiatras são doidonas. Porque será? ;)
Coitadinha, deve ser tão infeliz... Precisa de uma parafernália de apetrechos para ter uma noite em grande de que nem guardou memória.
Escreves a matar. :)

lazuli disse...

o que se aprende na net:)

António disse...

Obrigado pela visita ao meu covil.
Só não sei que língua é esta com que começaste o teu comentário:
"G-Day mate, diak kalae..."
eh eh eh
Podes esclarecer-me?
Abraço

António disse...

Xiiii...tanta poliglotice!
Abraço

Viuva Negra disse...

Obrigada pela vista ao viuva negra!!!
jã vi por aqui malta conhecida, gostava de saber o que fazem para conseguirem blogar tanto ... ou será que eu ainda não apanghei a tecnica heheheheh

Betty Branco Martins disse...

Bom, a história está a ficar do melhor! a psiquiatra completamente devassa, não sei onde vai parar!!!

Continua *****

Beijos

A. Duarte e Lázaro disse...

Xiii... lembraste de dizer q FNA ao fds era sucídio? Imagina ontem, com entrada à borlix! Havia carros estacionados até à saída para Almeirim!
Tony! papapa! tony! hihihihi
Kisses

Rogue disse...

Vim agradecer a Visita e deparo-me com um blog à maneira.
Continua.
1 abraço

LAINEBRUXA disse...

Deus

Você jamais está abandonado! Absolutamente!
O Pai não abandona ninguém.
Ele veste de plumas multicoloridas as pequeninas aves,
enfeita de beleza e perfume as flores
e não deixa morrer de fome nem os insetos nem os pequeninos vermes.
Esteja certo: não cai um fio de cabelo de sua cabeça, sem que Ele o permita.
Confie no PAI!
Você jamais está abandonado!

Mensagem extraída do livro "Minutos de Sabedoria"
C.Torres Pastorinho

persephone disse...

Não sei bem porquê lembrei me deste poema:


"Fraldiqueiros"


Coitarados!
Meninos, tiveram pouca mamã.
Carências afectivas afunilaram-nos psiquicamente
desde a impoética infância até este corrimento senti-
[mental
em que, grandinhos, se compensam, comprazem.
Continuam a gotejar.

Coitarados!
Gulosos de pontas de dedos,
perdem-se em beijoqueirices, diminutivas ternurinhas.
Têm sempre rebuçadinhos d'alma para as mulheres.
Falam freud ao colo das amigas.

Fraldiqueiros. . .
Vai levar-lhes isso a nojo, machão?
MuIheres gostam. Riem, prazidas.
«Venha cá à mamã!»

O golpe do coitadinho (não confundir com o golpe
do irmãozinho, esse na base do esquema da alma gémea)
é o que estás a ver: saltar para o regaço e pedir nhém
[nhém
em nome do Sigismundo, daquele que dizia, salvo erro:
A alma? Geme-a...

Fraldiqueiros
a mandarem beijinhos por teleférico!
[de saliva
Engatinhantes, tiram do estojo complexos em forma
[de saxofone
e tocantam-lhes a pingona freudista canção do bandido

Fraldiqueiros. . .
Mulheres gostam. Até onde?


ALEXANDRE O'NEILL


apeteceu-me

**

Pensamentos em Branco disse...

exacto....sonhando conseguimos tudo, mais do que se pensarmos e acabarmos por tomar uma decisão errada, da qual nos arrependemos mais tarde. sonhar! adoro! beijokituxas.

Anónimo disse...

oh sonhar, sonhar, sonhar!
oh sonhar, sonhar, sonhar!
oh sonharsonharsonhar
oh sonharsonharohhhhhsonhar
fica o meu poema... uma quadra decassilabica, de rima super certa

poeta a sonharsonhar