quinta-feira, julho 21, 2005

APARÊNCIAS


Aparências


Porque será que os Portugueses gostam de viver de aparências? Porque será que queremos ser sempre mais do que os outros?
Porque é que até nas catástrofes temos que procurar incessantemente um português, para dizermos que estávamos lá? - Mesmo que esse português seja Colombiano! - (Será que ele vai processar Portugal por danos morais irreparáveis e por lhe chamaram Português?).
Ando cheio de dúvidas existenciais. Porém a grande verdade é que vivemos de aparências. Queremos mostrar que somos os maiores, mas depois não temos onde nos agarrar, mostramos o nosso provincianismo em pequenas coisas: compramos “Donna Karan”, nos “ciganos” com padrões da Tommy. Já vamos voltar à roupa. A verdade é que queremos ser sempre mais que os outros!
Como disse, há uns tempos o arrastão não tinha sido nenhum arrastão. Para variar ninguém me levou a sério e agora chegaram à mesma conclusão do que eu: o arrastão de 500 pessoas afinal só tinha sido de 20 e de arrastão passou a escaramuça!
E sabem o quanto vai custar a Portugal esta mania das grandezas?! - Eu não imagino. Todavia a imagem que passou lá para fora, é que isto é um país de marginais, e que estas coisas acontecem diariamente. E agora? Quem paga estes danos? - Lembro-vos que somos todos nós que temos a mania que somos mais do que somos. – Não basta parecer. Temos de ser.
A minha mãe sempre me disse: -“ não podes ter mais do que ganhas” – e lá me fui acostumando ao longo dos anos. Os Portugueses deveriam seguir este exemplo. Eu tenho dificuldade em entender porque somos o país que tem mais telemóveis per capita. Não entendo: se somos o país da União Europeia, onde menos se ganha, onde menos se produz, onde a educação é pior, onde a agricultura está abaixo de “cão”, porque temos de ter tudo, o que não podemos!? Mais telemóveis, mais carros topo de gama, mais tudo? Até temos um tal Alberto João Jardim que consegue dizer mais disparates por segundo do que outro qualquer político Europeu. – Eu disse Europeu? – Perdão: queria dizer, mundial.
Esse tal “senhor” (aqui é pejorativo) tem uma lata que mais parece um ferro velho. Eu lembro-lhe se ele não sabe, a quantidade de madeirenses (portugueses) que existem na Africa do Sul, Estados Unidos e na Venezuela. São muito mais do que os portugueses (madeirenses) vivem na ilha. Mas hoje entendo tudo: eles não foram à procura de melhores empregos, nem de melhores condições de vida. Eles simplesmente quiseram estar longe de tal ogre. - Imagino o inferno que deve ser viver perto daquele “senhor” (pejorativo). Mas nós portugueses, os mais provincianos dos provincianos -, só mesmo os sicilianos são mais do que nós -, mas esses sabem governar-se e ai de quem se mete com eles, apesar da Máfia ter os dias contados.
Eles é que não sabem. (nem eu, mas fica bem dizer isto)
... Voltando à roupa, não entendo como é que as lojas podem vender as coisas tão caras, muito mais caras que nos países onde se ganha muito mais do que por cá. O que eu digo é que querem ganhar tudo de uma vez. Basta ver os saldos: andei a namorar umas botas que custavam 200 € - namorar, porque nunca gastaria esse dinheiro seja para o que for -, (roupa entenda-se) e depois fui buscá-las em saldo por 45 €. Ora se a loja não estava a perder dinheiro –, porque não perdem. Os portugueses nunca perdem nada –, 155€ de lucro?!
É caso para dizer... não digo...é melhor para todos.

Apeteceu-me



"Não é o espelho que me conduz, prefiro a tua mão!" Charles de la Folie

34 comentários:

Estrela do mar disse...

...tens toda a razão...mas sabes porque acho que a maior parte dos portugueses tem a mania das grandezes?...porque para pequeno já basta o país...lol...

P.S. Mas que lindas freiras!!! Eu já conhecia essas fotos...mas nunca deixo de rir sempre que as revejo:)

Bjos.

Mitsou disse...

Belíssimo texto e estou absolutamente de acordo contigo. É a velha e nacional mania (ou mentalidade?) das aparências,o querer ser/ter mais que o vizinho, julgo eu. Só é pena não nos empenharmos em competir no que realmente interessa. Como dizia um amigo meu, somos uma infelizmência. Beijocas.

Mocho Falante disse...

Olá viva, aqui estou eu a agradecer as tuas palavras neste meu dia. Obrigado

Um forte abraço

António disse...

Obrigado pela visita ao meu covil.
Volta sempre
Abraço

Isabel-F. disse...

Oi Carlos...

Bom dia.
Adorei aqui voltar e ler-te... belo texto, com o qual concordo claro... quem não concordaria???

Bj

pachita disse...

Caramba. Gosto mesmo deste blog. :)

Em relação ao post, não posso estar mais de acordo contigo. Parece que cristalizámos no tempo dos descobrimentos e ainda pensamos que somos grandes. Só seremos grandes se não tivermos a mania das grandezas e conseguirmos trabalhar a sério (ai, credo, agora baixou-me aqui o espírito do Sócrates...mas valia ter baixado o corpo dele, hehehe).

Beijinhos

Bino (Abrupto Sexual) disse...

Portugal geograficamente não é pequeno (somos maiores que a Holanda, Bélgica, Dinamarca, Suiça, e mais uma catrefada de países europeus) infelizmente a nossa mentalidade é que é muito pequenina.
Quanto ao custo das coisas, o tal exemplo das botas, isso aí é mais complexo... Mas só assim de raspão, digo-te que quando compras umas botas não estás só a pagar as botas lembra-te dos 21% de IVA, do IRC, da Segurança Social, da renda da loja, dos juros, da concorrência dos chineses, das grandes superfícies, dos furtos, da crise, etc, etc.
O comércio tem levantado os preços porque o volume de vendas tem diminuido e portanto para não falirem, os comerciantes têm que ganhar mais por cada venda efectuada. Na verdade, basta vermos a quantidade de lojas fechadas, para vender, arrendar ou a trespasse, para nos apercebermos que as coisas andam más. Mas entendo perfeitamente o teu ponto de vista e acertaste na mouche em muito do que dizes. Um abraço.

Fernanda Carvalho disse...

Concordo plenamente com o que escreveu. Parece um paradoxo, mas enquanto for celebrada a cultura da mediocridade, não há volta a dar.
(Ainda bem que o convenceram a criar este blog!
Vou linká-lo no meu, espero que não se importe... é que quero cá voltar!)
Um abraço
~º(",)º~
Fernanda

Freddy disse...

O povo tuga é como um polvo (não a série de tv)... É tentáculos por todo o lado... :)

Abraço da Zona Franca

francis disse...

Ogre? Estás a elogiar o homem (perdão, omem!)

Ana disse...

gostei bastante desta foto...

AnaBond disse...

Ai que vou ter de 'linkar' isto...
Em boa hora me 'visitou'... obrigado. Adorei.

Ogre? Coitadinho do Shrek.

Infelizmente a esse senhor não QUEREM tocar... tantas histórias se sabem... e até eu, que estou deste lado, sem 'conhecimentos' sei algumas... e de 'fontes seguras'... pena pena.

Este país é de interesses, e nada me convence do contrário. Só estamos assim porque ninguém quer mexer em nada, pois podem ficar mal vistos ou perder regalias.
E por isso somos 'pequeninos'.

Alguém me disse um dia destes (ou ouvi, já não sei) que já fomos grandes porque arriscávamos. Metíamos uma nau no mar e cá vai disto. Hoje não sabemos arriscar. Hoje interessa-nos mais o que entra no bolso, politicamente falando. Hoje interessa-nos o nosso umbigo.

Ai, isto dava pano para mangas.. fico-me por aqui, com a certeza que voltarei.

Raquel V. disse...

Hoje é só para um beijinho :) Obrigada :)


(pois é... escrever enxaqueca é sempre aquela... lembra outras coisas e quem a sofre é que está na m**** lol)

Márcia disse...

Será só em Portugal? Não creio.
Por aqui é igual. Sobretudo quanto às roupas.

beijo daqui, do outro lado do mar.

persephone disse...

Ora, parece que tudo já foi dito.

jitos*

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Concordo em absoluto com o que escreveste.
Tenho a teoria de que, nós somos assim, por trauma. Ou seja, 50 anos de fascismo, deixaram-nos tão traumatizados que agora endividamo-nos até à proxima geração, para ter sempre mais um fósforo do que o vizinho. Obviamente que, aqui também existe aquele bicho provinciano.
Quando ouço que em Portugal já há mais telemóveis que pessoas, que são as casas mais caras que se vendem ou os melhores carros, digo sempre: os jornalistas ontem estavam doidos...só falavam em crise no telejornal...eheheheh
Mas, os doidos somos nós....somos, somos e vamos pagar isto bem caro e com muitos juros de mora

maria disse...

Carlos, gostei de te ler assim, a dar p'ró irritado-chateado-mais-a-sério-que-os-anteriores (ou talvez não!)!
Gostei de tudo, tudo, tudooooo... quer dizer... só não percebo que mal fizeram os ogres... é que nenhum ogre merece tal comparação!

:)
bjinhosss

A. Duarte Lázaro disse...

Cá vinha eu para a visita costumeira de comentário aos artigos de opinião de um casal que muito admiro a nível profissional (perdoem-me, acredito que são pessoas excepcionais mas ainda não nos conhecemos). Bem, hoje vou ser curta e objectiva. Resumo os vossos artigos a um "gostei muito", sempre com a mesma qualidade, a mesma frontalidade e a mesma seriedade daquilo que se diz. O teu, Carlos, desta vez tem um tom muito menos jocoso e muito mais sério. Mas gostei. Fazem-nos sempre pensar e acenar afirmativamente com a cabeça.
Beijinhos para ambos.

P.S.: Este acústico dos Mesa está fabulástico!

Nandita disse...

Concordo em absoluto... e terias a prova disso se visses o primeiro mês de um novo Shopping (o que aconteceu há ano e meio aqui em Viana)... Em menos de um mês só vês camisolas "Quebramar" e daí para cima (sim, porque acho a Quebramar cara...) em pessoal que nem dinheiro tem para a renda. País triste...

Beijo (como foste parar ai meu blog??)

Ricardo Leal disse...

Antes demais, vale a pena ter o teu blog sempre aberto. Os teus gostos musicais são excelentes, bem como o que escreves.

Uma vez mais, acabas por escrever a triste realidade do que por cá se passa!

Abraço.

Tribunal_Beatas disse...

Que o português é uma espécie que gosta de dar nas vistas já nós sabíamos há muito tempo. Basta ver o número crescente de pedidos de empréstimo aos bancos! Ele é empréstimo para o carro, para a casa, empréstimo para fazer a bela da viagem ao estrangeiro (para depois causar inveja à/ao vizinha/o)...
O pior é que esta espírito atinge todos: o povo e os governantes! É por essas e por outras que não se vai a lado nenhum:P

Freddy disse...

O Pingú e a Zona Franca vão de férias. :) Até à volta!!!

augustoM disse...

Carlos, um comentário muito curto para dizer, numa só palavra, de que mal sofrem os portuguese. Estultícia.
Um abraço. Augusto

Anónimo disse...

ola, sou nova aqui, mas não posso deixar de dizer que concordo porque é verdade;somos uns imitadores de meia tijela e tentamos sempre "roubar" o proximo; contudo pergunto se está a falar dos portugueses todos ou só de nós?hehehe amcosta

bico disse...

Excelente. Discordo de o AJJ ser o politico que diz mais disparates por segundo a nível mundial. Não se esqueçam do George W Bush.

Malae disse...

Um fiel, muito fiel retrato da mentalidade e realidade portuguesas! Enfim... coisas deste país sui generis! Bom fim de semana. Beijinhos. Malae***********

mar disse...

Fez-me lembrar um anuncio antigo que dizia: Levo a etiqueta... ;)
Boa critica à nossa sociedade de usa e deita fora...Bj

Sofia disse...

Para mim nada disso é novidade. São as típicas idiossincracias deste peculiar povo português!
Bjs
Bom fds

Caracolinha disse...

Para não variar adorei este post ... é, somos de facto um país que ainda tem muito que aprender ... concordo plenamente contigo ... gostamos de nos exibir em coisas que não nos dignificam minimamente ... o grande país é aquele que permite aos seus cidadãos condições dignas de emprego, saúde, justiça, ensino ... e não aquele que gasta o noso dinheiro em projectos megalómanos que dão em nada.

A imagem das feiras é divinal, já tinha recebido por mail e chorei a rir ... no fundo, ambros os posts nos remetem para o fenómeno da percepção ... ams da pior maneira possível .. e provam que a percepçõ nos leva muitas vezes a cometer erros de interpretação !!!!

Decididamente vou-te juntar aos meus link's !!!!

Beijinho Encaracolado ~:o)

salseira disse...

o ser humano parece q precisa de se exibir!

adorei aquela imagenzinha da minhoca xD
beijinho

Cubic.Emotion disse...

As aparencias iludem... Que banquinhos originais! :P

*

Sergy disse...

As aparencias bem nos fodem

Anónimo disse...

Sobre ser e parecer, noutro tom, se tiveres paciência:

http://spaces.msn.com/members/nucha/

Maria

Karol disse...

Olá Carlos, eu não sabia que os portugueses também tinham essa mania de ter mais do que se pode (os brasileiros também são assim - acho que em toda parte do mundo vamos encontrar gente assim)
Sabe, eu também adoro namorar algumas roupas - e ficar esperando a liquidação (risos)
Bjos, tenha um bom domingo =)