sábado, março 19, 2005

Crise dos 40

(Esqueceste-te que eu havia de crescer e fugiste daqui para fora)

(...) Ouvia “I wonder” do meu amigo Gomo e parei no meu local secreto para ver o Mar, (de secreto nada têm fica no cimo da rua dos Pescadores) estava lindo revolto como eu gosto, desordenado, para ai com vagas na ordem dos 2,5 mts, espuma enorme muito mais apetecível que aquelas golas largas das cervejarias da moda a imitar (franchising), aquelas que outrora muito prazer me deram.
Este saudosismo anda me a matar, dizem-me que é a crise dos 40, aliás aqui em casa é a palavra mais usada e as minhas crianças não fazem a mínima ideia do que isso é, mas enfim tenho de admitir que pode mesmo ser, já ouvi falar tanto dessa crise e já vi o efeito dela em alguns amigos meus o que me assusta mas não me aflige, ou estão deprimidos, ou Divorciados, ou suicidaram-se, ou alcoolizados, ou em constantes pedradas quer de ansióliticos quer de heroina ou cocaína, ou então estão 20 anos mais novos.
Eu até à um bom par de anos, vivi a vida com uma intensidade assustadora, não gosto muito de falar nisso, mas por vezes necessito já que não tenho ninguém a quem falar, escrevo, pelo menos como me diz a minha comentadora oficial dos comentários a “BB” e a fazer fé nela, afinal há quem leia e escreva alguma coisa neste pais a beira mar plantado, e eu pelo menos aqui sinto-me assim é verdade que a maior parte dos comentários são pagos mas mesmo assim faz-me sentir bem ou fazem-me sentir bem.
Porra, estou à uma porrada de linhas para dizer o que quero e ainda não abordei o assunto, o Gomo, conheço desde pequeno, o Paulo era muito pequeno, o irmão mais velho o Gouveia esse era também para ai uns 5 anos mais novo que eu, talvez nem isso, mas quando se tem 10 anos, 5 anos é muita fruta mesmo, 15 para 10 ou 20 para 15 também, mas agora o Gouveia, o louco do Gouveia, é quase da minha idade é espantoso, e o Paulinho, o Gomo já é um homem, não é um orgulho ver uma pessoa que se viu crescer assim famosa a fazer musica brilhante ( só uma mente assim poderia dar o nome ao seu primeiro disco “Best Of ” ), telediscos fascinantes, estou como a minha irmã me costuma dizer... como cresceste irmão, apetece-me dizer a mesma coisa ao Paulo.
Pois o Gomo vi-o crescer mas olho para a minha vida e penso, penso não! Tenho a certeza que vi crescer muita e boa gente que ainda hoje considero amigo, a minha vida foi sempre uma caixinha de surpresas, mas por vezes tenho vergonha da abrir, porque foi mesmo tão intensa, com um ritmo alucinante que me custa falar dela sem que as pessoas se interroguem este “gajo” deve mentir ou então tem uma imaginação muito fértil .
Quando olho para os meus 40 anos, a única coisa que me faz mesmo espécie é que o meu pai já morreu a 31, que a primeira vez que vi os Xutos foi a 25 e assim uma série de coisas o 25 de abril já foi a 32 anos, o meu filho vai a caminho dos 6 quase a entrar para escola primária essas coisas são aquelas que me deixam um bocado com o credo na boca, mas em contrapartida lembro-me que fui campeão nacional de voleibol inter escolas, o volei que me deu a elasticidade e a impulsão que ainda hoje tenho, lembro-me quando fui chamado a selecção nacional de juniores em futebol, era guarda redes aprendi a voar no tempo que estava ali sozinho na baliza era fantástico e hoje que jeitão me dá, lembro-me quando fui campeão nacional de rugby, aprendi a ser leal, lembro-me quando fui vice campeão de karting, aprendi a respeitar os meus reflexos, lembro-me quando o benfica me convidou para jogar andebol, aprendi a importância da dignidade, deixei de jogar andebol.
Hoje com 40 anos ainda conseguia atirar-me de 120 metros de altura e bater o recorde europeu de budgie jumping, quando o fiz aprendi que não tinha limites.

.


Hoje ainda conseguia agarrar numa bicicleta e descer qualquer montanha a mais de 90 a hora, mesmo sabendo que as estatísticas jogam a meu desfavor, 60% de hipóteses de ir parar ao hospital, eram pelo menos essas as estatísticas, em 10 provas 6 ia até ao hospital, uma vantagem, podia gabar-me que tinha mais pontos que os meus adversários pelo menos no corpo.
Diverte-me pensar assim, que deixei o meu perfume por algumas da melhores discotecas do pais não como galã mas como DJ, DJ não isso é demasiado técnico um bom fazedor de barulho e algumas que nem vos conto, diverte-me saber que o Paulino Coelho é padrinho do meu filho e meu melhor amigo apesar de não o ver nem falar com ele a muito. Diverte-me também saber que o padrinho da minha filha é o Indigente do Nuno Calado. Diverte-me saber que outro dos meus melhores amigos ainda hoje me liga para conversar das noites de sonho que inventamos por esse pais fora, diverte-me saber que se partir uma perna tenho alguém que me vai visitar e foge com a médica. Diverte-me saber tantas coisas boas que se passaram na minha vida. Diverte-me saber que ainda consigo pensar em coisas que só eu consigo fazêr.
Gosto de ser divertido, gosto de divertir, mas confesso que ultimamente a minha disposição anda diferente, resmungo, grito, protesto, barafusto, falo sozinho, dizem que estou um chato, um velho e passo a vida com as malas a porta, não é bem assim é mesmo só um saquinho será isso a crise dos 40? será da crise dos 40?
Olhando para trás, desculpem lá não sou prepotente, não sou arrogante, não sou um duro, não sou uma serie de coisas que me permitiriam dizer o que Vou dizer a seguir, acho que sou único, que sou especial, não sou perfeito mas tenho partes de mim fabulosas, chego a irritar-me comigo por ser BRILHANTE. ( esta era desnecessária mas é para ver se a minha auto-estima segue para Bingo)
Qualquer parecença com a realidade é mera coincidência e lá em casa não façam o mesmo porque é meio complicado.

Este Texto é dedicado a Henrique Paiva Couceiro de Barros , que me deixou quando tinha 9 anos.

Apeteceu-me

12 comentários:

sonia disse...

gostei muito, acho que me emocionei, quem me dera chegar a crise dos 40, e ter 5% do que escreveste, para escrever...o que é mais importante é dizer vivi, aproveitei, e ainda tenho muito mais para ver, viver e aproveitar...

Cris disse...

Carlinhos, carlinhos, carlinhos... anda cá, meu menino q eu quero conversar contigo!...

Em primeiro lugar: então os comentários são pagos e eu ainda n vi um tusto?... Quero as continhas feitas e n passo recibo a menos q tb cobre o IVA...

Vamos agora ao mais importante:
Que é lá isso de "crise dos quarenta?" Ai mau, mau!
Pois eu tenho 41 e n sou rabugenta, n senhor. E nada de me sentir velha que eu ainda me sinto uma "mecinha".

Não fiz tantas coisas como tu, mas ainda consegui ser campeã regional de natação, praticar atletismo,andebol e ginástica rítmica... e ainda tive tempo para escrever uns livritos, para aprender a ser uma professora rabugenta, para namorar, para casar, para ter filhos, pra dar aulas durante 16 anos e... agora... para ficar no desemprego pq a ministra n tinha vagas pra mim... e no fim disto tudo só n tive tempo para ter crises de quarenta anos porque acho q só me vou sentir velha qd tiver 80... e mesmo assim, n sei!

Por isso, o menino Carlinhos, faça favor de deitar a "crise" para o cesto dos papéis e afine-me essa voz que faz muita falta no início das suas músicas... Porque eu acho q nunca lho disse... mas tem uma voz excepcional!

Beijinho

mj disse...

Charles um sorriso para ti neste dia :)
fica bem
beijos

LUA DE LOBOS disse...

e eu com 61 ???
fico como? a Prozac???
SAFA!!!!
não entres nessa senão quando deres por isso ...não estás...foste...
Gosto muito do que escreves e conta-me lá nem que seja por email. como consegues que te paguem...seja o que for.
E que eu editei vários livros , com contratos da SPA com o editor, com tudo direitinho e certinho, só recebi 50 "mocas"...e chatices a mais não poder::))
please conta lá o segredo ::)))
xi
maria

P.S. sinto falta de ti lá pelo meu blog

Lí disse...

Crise dos 40?! Espera... Tenho de me rir um pouco... Ahah! Tu és um eterno jovem, tens lá crise dos 40!!! Não contes a tua vida por anos, mas sim por experiências...

Vera Cymbron disse...

Não me parece que a crise dos 40 seja coisa para si...mas pronto, pelo menos deu um bom texto! :)
Jinhos e bom fim de semana.

BB disse...

É DE LAMENTAR QUE NÃO TENHAS NINGUÉM COM QUEM FALAR.
É DE LAMENTAR QUE.. ENFIM..UMA SÉRIE DE COISAS.
MAS,NEM TUDO É MAU.. TAL COMO O SANTANA, TAMBÉM PARECES TER MUITOS COLOS PARA TE CONSOLAREM

Carlos Barros disse...

Quem disse que eu não tinha ninguém a quem falar? eu digo é que não tenho ninguém que me escute que é diferente.
Vai de recto Santanaz.
BB- é de BOMBOM?

Carlos Barros disse...

Por acaso digo, que não tenho ninguém a quem falar, mas como diz o outro, falam, falam, falam falam e não dizem nada.

..::Lissinha::.. disse...

ao menos aproveitou a vida quando era mais novo!
obrigada pelo comment no meu blog e pela sugestão de leitura;volte sempre,que também volto cá ao blog;)beijos**********************

c(ri)arme disse...

ninguém foge de ninguém a não ser de si próprio...um abraço.

Raquel V. disse...

Escolhi este para comentar pq a crise dos 40 anda qs a bater-me à porta... e depois de ler o post que é mais do que isso, diria q quem teve tanta pedalada para trás também a terá para a frente!
Por outro lado acho piada o facto de fazeres as contas aos anos que já distam desde que sucederam tantas coisas, pq eu faço isso muitas vezes mas em décadas... penso... caramba já passaram 20 anos desde q... e recordo-me de ter 16 anos e 20 anos de vida me parecerem uma eternidade, e aqui estou eu... duas décadas depois a recordar tão facilmente emoções dessa época... é qs um mistério essa nossa capacidade de memória...
E ainda bem :)