sábado, março 05, 2005

Suicídio (Coragens)

(...)Ali estava ele, o vento batia-lhe na face o frio era de cortar a faca
(...) O mundo parecia que lhe ia cair em cima da cabeça, estava prestes a estalar (a cabeça), sentia-se um incompreendido, não uma vitima ou mais uma vitima, mas um incompreendido, sem razão nem sentido, o seu refugio estava longe, os pensamentos refugiavam-se em linhas paralelas por aqui e por ali longe do imaginário do quimérico.
Raramente ele tinha oportunidade de dizer a alguém o que lhe ia na alma, raramente ele dizia a alguém quem era, o que queria e onde gostava de ir, ninguém sabia quem era, nem pareciam ralar-se muito com isso, conheciam-lhe a silhueta, pouco mais, mas ninguém conseguia chegar lá ao fundo. Ninguém se lembra de o ver cabisbaixo, não é, nem era pessoa de baixar a cabeça de se sentir humilhado, vexado, mas por vezes a vida, a alegria da vida parecia querer abandona-lo, momentaneamente fraquejava, mas voltava a saltar para fora, queria perceber o que a vida lhe oferecia, sentia a vida passar a correr, mas havia momentos em que a lucidez se sobrepunha a solidão, uma solidão controlada, uma solidão que servia, para controlar as ansiedades, as inquietações de espirito, aquela impaciência que tantas vezes parecia um turbilhão de emoções em sentido contrario.
Não era que isso fosse muito importante, não era mesmo nada, porque havia alguém de se importar com isso? As pessoas são egoístas, mas são o que são ou aprendemos a viver com isso ou então, ou então aprendemos a viver a vida de outras pessoas a não Ter vida própria.
Os pensamentos dele são :
ou fugimos dos nossos sonhos, ou caímos no marasmo de uma vida normalissíma, banal, igual a tantas outras, e tudo nos passa ao lado de certa forma a morte, uma morte não clinica, mas cínica e impassível.
Pensava, enquanto o vento lhe rasgava a cara com o frio, não havia dor, só mágoa, a dor essa era suportável ou talvez não mas era superada por outras dores, mas enfim era mais uma vida que podia terminar ali, ali quando a coragem assim o decidisse, sim coragem e não cobardia, coragem, é preciso coragem.
(...) naquele momento enquanto estava enquadrado com o horizonte a uma altura considerável da agua, pensou que a ponte é uma passagem e não um ponto de partida para outras viagens.

Apeteceu-me

9 comentários:

D disse...

Bem, são 11h da manhã e eu por aqui, estou absolutamente viciada e deliciada com as tuas histórias.
A coragem para acabar com a própria vida, é o acto mais cobarde que se pode ter . beijinhoos* *

Kal disse...

lol,mau? quem?
concord ctg daniela, mtas x pode ser cobarde pois n podemos enfrentar a vida, mas e aquelas em k a vida e de facto um inferno, em que nd corre bem mm qd nos esforçamos? e a eutanasia? nem tanto para o mar, nem tanto para a terra...
estas pontes...
abraço =)

Livia disse...

Tristes decisões que algumas pessoas tomam...ah, se elas soubessem!!
Beijos

BB disse...

É SÁBADO. AINDA BEM QUE HÁ MADRUGADORAS QUE MAL SAIEM DA CAMA VÃO LOGO PARA O REFÚGIO DA NET. QUE DELÍCIA
NÃO TÊM MAIS NADA PARA FAZER?

mj disse...

É, realmente é preciso coragem para alguém tomar essa decisão...acabar com a pp vida, desistir de viver, de lutar, dos sonhos..mas por maiores que sejam os problemas ou as dificuldades, mm que não se vislumbre uma luz ao fundo do túnel, existe sempre uma saída melhor que essa, claro que sim, tem que existir..fica bem Charles (f)
beijos

Latino disse...

Encontrei teu link em algum dos
espaços que estou visitando,
entrei e estou gostando muito
daqui, deixo um convite para
ir até o meu canto. Saudações!

Vera Cymbron disse...

Um texto muito real, de infelicidades tamanhas aos montes por aí...
Adorei a escrita por razões obvias, gosto muito dos seus textos.
Jinho

Joao disse...

A ponte pode ser tantas coisa, não é, Carlos? Uma miragem, uma vontade, um refúgio, um fim... pode ter significado passar pela ponte, ou parar em cima de ponte, ou pernoitar debaixo da ponte... pode não fazer sentido num dia e não restar mais nada no outro...
A vida é feita de altos e baixos, de corridas e de pausas, e num inverno de loucos pode dizer-se que é coragem querer parar tudo? Eu pessoalmente acho que não, porque o mais difícil é enfrentar esse "frio de cortar à faca"...

Um abraço. Obrigado pela tua visita

sonia disse...

eu acho que é preciso ter coragem para acabar com a propria vida, mas é o caminho mais facil, acabam os problemas e o sofrimento.
por outro lado é preciso ter coragem para viver,viver é o caminho mais dificil, resolver os problemas e aprender a sofrer, saber sofrer. mas adorei o fim do teu post a ponte é um ponto de passagem e não de partida,há tantas coisas no mundo que mostram como é bom tar vivo e enfrentar tudo e todos e dizer vitoria consegui, sou feliz...sim porque a felicidade esta no sorriso de quem amamos.incluindo nós proprios