quarta-feira, maio 11, 2005

(Fogo) Cruzado X

(Fogo) Cruzado X



(...) Mas os chineses nem todos são assim pacientes, não são não, basta ir a um restaurante chinês, e pedir ao “ senhole um plato, tipo o numelo telinta e tlês, e agladecele com um glande obligado” que ele ficam logo a carburar mal, e depois se rematares com um “está certo ou Alberto” eles ficam piursos, ficam a deitar fumo por todos os poros, mas a que propósito vêm agora para aqui o raio dos chineses? Pois claro, vi logo que não vinham para aqui fazer nada, eles só são mesmo o verbo encher, porque são tantos e, pois muitos e todos com a mesma ideia, a mesma não eles têm duas ideias, uma é abrir um restaurante a outra é abrirem uma loja de chinesices, aquelas lojas que têm tudo a preços fantásticos, onde compras até, sei lá o quê baratíssimo e que não serve para nada, mas têm graça e foi barato.
Bom mas chinês a parte, porque não começar a pensar o que vai acontecer aqui neste prédio quando o Vasco ler aquela magnifica prosa em forma de literatura poética, pois penso que isto não faz sentido algum, mas o que nesta altura faz sentido, nada faz sentido, nem aquela algazarra que vai por ali na escada, parece a Dra Mónica e a Bestinha, claro o marido este é o temo mais carinhoso que me lembro numa altura desta, a besta... até que não é um mau nome e soa bem, será que ele merece o termo de besta? Não, coitadas das bestas, as bestas merecem muito mais que isto, aquele era mesmo um energúmeno, podia-lhe chamar endemoninhado, mas era um nome demasiado pomposo para o “coiso”, porque andariam ele aos gritos? Para ser franco, andavam sempre aos gritos por isso não era nada de especial o que se estava por ali a passar apesar de ser Sábado de manhã.
Naquela altura estava com um estalo que até parecia uma batata frita daquelas estaladiças, tipo as que vendem na praia segundo a receita da avózinha, uma isso fazia-me lembrar a bela bolinha de Berlim com aquele creme ranhoca com 15 dias de praia, até que não eram más de todo, não eram não apesar do aspecto, por vezes pareciam que tinham acabado de vir de um campo de bola qualquer desses por ai espalhados onde as bolas durante 90 minutos são tão maltratadas, as bolas e os espectadores, mas esses merecem sempre o que vão ver, adoro ver esses jogos, só para ouvir os mimos a que são brindados os jogadores adversários, os árbitros e o policias e muitas vezes os jogadores da casa, mas esses depois têm o que merecem no fim quando vão lanchar a bela “sande” de courato com os adeptos e o belo tinto, onde o melhor que se tratam é de filho de um comboio de melancias para cima, e este termo já é muito pouco utilizado.
Precisava de saber do Cão Guru, precisava de saber como estava a minha conta se não estaria a negativos, precisava de saber se ainda tinha alma, pelo menos não estava “perdido na pólis cinzenta da chuva fria” onde é que já tinha ouvido aquela frase tão pomposa, claro que minha não era ai isso é que não era, porque não tinha arte nem engenho para dizer coisas daquele género, as minhas eram mais “ o que ei-de fazer para ser o teu Amor?” geralmente a resposta era sempre a mesma suicida-te, o que demonstra que eu tinha uma personalidade muito forte porque nunca tentei, nem pensei no assunto se quer, tinha outra frase do gènero “ a menina sabia que este é o ano da queca louca?” geralmente a resposta era também demasiado evidente tipo - claro que sabia e onde encontro um bom parceiro, mas nada de muito especial, ou não fosse eu um ser muito especial, quer dizer, mais ou menos especial, quer dizer tipo aqueles bifes a moda da casa que são sempre muito especias, são sempre diferentes dos bifes convencionais, mas quando vêm para a mesa uma pessoa olha, olha e não vê diferença nenhuma, nenhuma mesmo a não ser quando chega a conta, ai sim notas uma grande diferença. Por mais que perguntes e barafustes e praguejes, ninguém te explica porque é que o bife à casa é especial, seria muito máis especial se fosse um bife “há” casa, porque ai já havia qualquer coisa uma casa por exemplo, mas ok, acho que sou especial a minha maneira, nada de especial, nada ou muito o vasco vai passar-se e eu não sou especial? Ai sou sou e vão ver mesmo como, e vão descobrir que eu não sou o centro do mundo, que sou o poeta da prosa, o musico da alarvidade mental o poderoso mentor de porra alguma o grande e enorme Rei do condomínio, agora já mês estava mesmo a passar e de que maneira, mas não vai ser por ai que o gato vai a filhoses, se é que há gato e filhoses se é que existe alguma coisa, a pedrada estava a dar cabo de mim de uma maneira violentíssima era mesmo poderosa, mas brilhante adorava aquela pedra dos meus novos charutos eram uma máquina de fazer rir e de fazer discursos estava ali um autentico político, político escreve-se com “M” grande ou “m” pequeno? Bem me parecia, político nem se devia escrever, mas podíamos inventar uma nova classe de políticos os políticos do Havano de erva, os ganzados do apocalipse, ou os pedrados do parlamento. Já tinha slogam e tudo : - Com políticas ganzado o parlamento a tarde não abre e de manhã está fechado.
- Adoro política, mas sem demagogia como isso é impossível é uma bela porcaria, fume ganzas que isso passa.
Mas a grande verdade a maior verdade é mesmo que o Vasco está lixado com “F” grande e eu aqui a curtir esta bela pedrada, essa é que é que é essa, coitado, nem quero pensar muito no assunto, cada um é como cada qual, eu como costumo dizer, não sou perfeito mas tenho partes de mim perfeitas.

Apeteceu-me



Acabou o capitulo (fogo) cruzado, e começa a Loucura, é a história da Psiquiatra do prédio.

18 comentários:

persephone disse...

Txii cheguei ao fim e tive que voltar atrás, ja estava a ficar uma beca confusa o.Ô

valentes gargalhadas escaparam-se-me
eheh

e com tudo isto fiquei com fome..

Um abraço Persephone*

zezinho disse...

Somos "perfeitos imperfeitos" ou imperfeitos perfeitos?"
Não vem ao caso. Interessa é que essa tua veia continua a produzir.
Abraço

O Micróbio disse...

Agora de repente começou tudo a bater nos chinocas... :-)

Vênus disse...

Olá,
Vim devolver-te o sorriso maroto...O teu sorriso para mim representou sim...
Se estiver ceta só te digo...Perfeito! Lindo! Maravilhoso!
Se errei´é vc quem est sorrindo agora..
BJS

Maria Heli disse...

Olá!

Venho desejar toda a sorte do mundo para Sábado!

Eu não tenho nada contra os sportinguistas, muito pelo contrário!

Å®t_Øf_£övë disse...

Ó Carlos,afinal quem é o Vasco?
Adorei ler este texto e a forma como encadeias os assuntos.
Tens o dom da escrita e por isso é que consegues mudar de assunto de uma forma tão eficiente que nós que te lemos nem nos apercebemos a quantidade de temas que trataste neste texto.
Parabéns.
Abraço.

inesita disse...

olá acrobata,ou será malabarista?

bb disse...

carlinhos, então onde temos o prazer de encontrar outros textos seus? não faça segredo. partilhe connosco.

bb disse...

já agora... porque há umas amigas mais amigas do que outras? porque é que a algumas confessa o segredo e a outras não?!não está bem...coisas do carlitos

bb disse...

carlitos, as tuas fãs, e falo por mim, estão tão curiosas para conhecerem o teu blg misterioso!e nós que gostamos tantoooooooooooo de te lermos

Vênus disse...

Olá,
Errei, então não é vc...Sorry..e continuo a ler-te por aqui...
BEIJOS

Carlos Barros disse...

Desculpe lá, o mau jeito, há uns tempos alguém sugeriu o caNTINHO DO ENGATE, eu andava aqui a pensar numa versão pouco soft da gina, mas depois achei que há gente que não ia compreender por isso mantenho-me só com a Republica do Pessegos, que me dá muito prazer e tb dá trabalho.

lobalpha disse...

Consegui chegar ao fim e ainda lembrar que começou com os chineses e "quelo um clepe tipo tles"...
espectacular. Quem escreve assim não é gago (nos dedos)
Já agora, obrigada pelos comentários :D fico contente, também costumo passar por aqui, mas acho que nunca deixei nenhum comentário... fica aqui a marca da minha passagem!

bjs
Ana

tovarisch Brezjniev disse...

Vá lá Carlos, mostra lá a Gina ao pessoal.

A. Duarte e Lázaro disse...

Anseio pelas histórias da psiquiatra... o que estes profissionais têm para contar... a minha então... estou a precisar de lhe contar mais umas coisas. LOL. beijos meus à esposa. Vou ler a crónica dela agora.

A. Duarte e Lázaro disse...

Pois é. Tive de voltar depois de lidas as crónicas para congratular o casal. Ambos escrevem delícias. Cada um à sua maneira. O meu beijo elogioso à esposa.

contadordehistorias disse...

Amigo carlos, é certo que não o comento muitas vezes e peço desculpa por isso. No entanto sempre que passo por aqui parece que me sento consigo à mesa tabaqueando uma boa conversa e soltando umas gargalhadas entre copos que vão e vem. Se me permite vou linká-lo.um abraço

Micas disse...

Fico à espera do psiquiatra! promete...
entretanto aparece amanhã para um copo na "Micas" Bjs