quinta-feira, fevereiro 24, 2005

Pancada XII (ultima)

Musica - EZspecial [my explanation]

(...) Nesse momento a Dona Henriqueta a senhora dona minha mãe, entra de rompante pelo meu quarto a dentro, eu que estava naquela posição, que nem lá vou nem deixo de ir, dou um salto da cama, um movimento impulsivo e fiquei, tesa, hirta e imóvel, com um olhar, meio atónito, e balbuciei assim uma coisa :

- A tão, mãe?

A minha mãe, com aquela cara angelical que Deus lhe deu, disse-me :

- A tão o quê filha
- Sim a tão que se passa?
- Não se passa nada porquê, era suposto passar-se alguma coisa? (diz a mãe a franzir o sobrolho)
- Não mãe a Carta o que diz a Carta
- Ahh a carta, qual carta, estás doida Palmira (cada vez percebia menos da conversa)
- Oh Mãe a carta que levaste ao Vasco, estás perdida ó quê?
- Ó quê!! E um grande ó quê também para ti, se assim o desejares (aqui j+á a mãe estava a gozar o pagode)
- Pois a carta, não levaste a carta ao Vasco deves estar mesmo a gozar comigo mas olha que não estou com disposição (e aí sai-lhe um grande arroto)
- Levei claro, mas olha não tenho por habito, nem espreitar aquilo que é para os outros e muito menos esperar que me digam alguma coisa.
- És sempre a mesma coisa !!!
- Bom, e muito menos com o pivete que vêm de lá de dentro eu iria esperar, foi um pau trazer-te este guronsam e eles encontra-lo foi um milagre.
- Ok, obrigada, é sempre um prazer os teu favores, fico sempre sem saber de nada.

Bebi, aquela dádiva, dos céus, com um prazer que nem vos passa, parecia um orgasmo multiplicado por 20 elevado ao quadrado, sim matemática a esta hora era complicada, mas mesmo assim a minha rica mãezinha era um amor, logo a seguir trouxe-me um café daqueles que só ela sabe preparar, a seguir ao guronsam caiu que nem ginjas, essa é outra das fazes, que nunca entendi bem porquê, as ginjas eu a seguir a beber umas ginjas, fico muita mal disposta, mas se for umas ginjinhas com nozes, umh, nem vos conto, é simplesmente fantastica, mas não vou pensar mais nisso se não daqui a pouco, estou mortal.
No fim daquele disparo todo de emoções e contradições, parecia, não parecia?! já julgavam que me tinha esquecido da carta, não claro que não esqueci e porque havia de esquecer alguém me dá uma razão valida, bem me parecia que os meus espíritos estavam comigo, claro que estavam então deviam de estar com quem?
Se não fosse, comigo, mas a carta eu tinha muitas duvidas, certezas algumas, para dizer a verdade eu não tinha nada nem certezas, nem duvidas, nada, não tinha mesmo nada.
Mas uma duvida, só uma me estava a dar cabo do totiço, porquê toda aquela pancada por causa da carta, até parecia, que a minha vida dependia disso, que dependia daquele pedaço de papel enviado ao senhor Vasco, o que seria que lá estaria escrito, que nervos, pior que isso, quem escreveu, pois é tanta conversa e nem me lembrei disso quem terá dado a carta a minha mãe:

- Mãe, mãeeeeeeeeeee anda cá depressa.
- Simmmm que foi Palmira ? (com cara de caso)
- Diz-me uma coisa, quem te deu a carta para enviares ao Vasco?
- Quem, me deu, ora essa, quem me deu foi, deixa cá ver, ora, acreditas que não me lembro?
- Como não te lembras? ( a Palmira fervilhava, estava piursa)
- Como fácil, a carta apareceu, hoje de manhã debaixo da porta.

Foi assim que decididamente fiquei a saber o que dizia a Carta, dizia,isso mesmo:
- Para o senhor Vasco.

Apeteceu-me
Esta é a ultima pancada, que pertence, ao II capitúlo de Qualquer coisa.


Este desenho pertence ao "A", que era o dono do Blog Tubo de Ensaio e que como qualquer géniozinho fez birra e arrasou com um blog muito interessante.
O "A" faz parte com o "Kal" dos meus comentadores pagos, parecem os velhos dos marretas.

4 comentários:

mj disse...

Oh já estou a ficar com saudades destas pancadas..como cantam os Xutos "as saudades que eu já tenho da minha alegre casinha", neste caso da moçoila Palmira e das suas crises existenciais..mas hei, donde surgiram estas pancadas concerteza virão outras, ai virão, virão..fica bem Charles
beijos

BlueShell disse...

Olha...gostei do texto (fico à espera de mais) e do desenho....
Aquilo que aparece na foto é um microfone ....ou é algo que nós não devamos saber???

hihihi...fiquei intrigada...sabes como é....coisa de mente perversa feminina!!! RSSSS

Estou assim (não é o meu normal) porque ontem tive uma dor de cabeça que só passou com avamigran e hoje estou toda "partida"....quando assim é....fico...reles...(é o caso.) Jinhos, BShell

D disse...

Cada vez gosto mais de vir aqui
:) 1beijo *

Kal disse...

ooooooooh :'( acabaram-se as pancadas! mas n me preocupo, de certeza k novas ideias virao, cd x melhores =) lolol, se me pagasses para comentar os teus textos era dakeles trabalhos onde se gosta do k se faz e ainda por cima se recebe por isso. epah, esses velhos sao altamente, pena n saber os nomes! eu prefiro akele k tinha uns cabelitos do lado, o outro era demasiado carrancudo =P mas nd bate o Cocas e o Great Gonzo (sim, eu adoro os marretas lol ) abraço