quinta-feira, fevereiro 03, 2005

Cheiros e outras cores.

Senti os seus lábios bem perto do meu rosto, eram quentes, aconchegadores, se é que esta palavra existe, mas existe aquele cheiro, aquele, eu sei que existe, um misto de cheiro a terra molhada com lã acabada de lavar, tinha um leve aroma a sândalo, era um cheiro agreste, um cheiro de prazeres, uma mão cheia de sabores, uma panóplia de pensamentos.
Não sei se acontece com mais gente, mas os cheiros a mim confundem-se com cores, imagino o amarelo, e sinto-lhe o cheiro, um puro aroma a limão, cheira-me a cabelos molhados, desfraldados, cheira-me a trópicos se bem que o verde lima, também cheire, a Brasil, a Picanha com feijão, a corpos bronzeados, a caipirinhas sem fim, cheira a praia, cheira a praia e a bronzeador.
O verde, ai o Verde cheira-me a erva, relva, a campo a corridas vertiginosas, cheira-me ao prazer de rebolar pelo chão, cheira-me a alface, couves e uma sopa de caldo verde, mas não me cheira a chouriço, mas o Verde cheira-me a esperança, cheira-me a titulo, cheira-me.
O vermelho mata-me, o cheiro a sangue que se espalha, aquele odor a hospital, a uma fé carnal, cheira-me a dias de espera, cheira-me a hálitos incontrolaveis e incontornaveis, nos prazeres e na arte de sedução.
O Branco cheira-me a pureza e a beleza, tem fragrâncias que não se atingem, o seu cheiro está num patamar onde a abundância de sentimentos são inalteráveis lineares sem a chama nem a cor da imprevisibilidade, o seu cheiro acalma, acalma as mente prodigiosas que teimam em fugir daqui, deste mundo de cheiros.
O azul, cheira a tenacidade, cheira a perseverança, a apego, cheira a outras luas outros céus cheira as partes mais intimas do sentimento, são dias de consentimento esses cheiros, depois tornam-se cinzentos com o passar do cheiro e do tempo, fica um cheiro rotineiro, um leve cheiro como uma brisa branca.
Temos o castanho, que cheira a floresta, onde as suas essências aromáticas se traduzem num cheiro a morte agradável, falamos de folhas, de uma vida que se recicla, um cheiro a uma morte que mais não é que o renovar de vida, o castanho cheira a outono, cheira a abandono é uma passagem para outras cores noutros sítios, cheira a procura incessante do Arco Íris, do seu perfume que se reduz, aqueles lábios bem perto do meu rosto, que a minha mãe teimava em beijar, vezes sem conta.

Apeteceu-me
Kal, vá homem não desanimes dá cor e cheiro a esta BD, que é tua

13 comentários:

Kal disse...

Lol, estás a desafiar-m para ilustrar os teus cheiros? lol, explica mlhr pk n percebi mt bem. eu animado ando, falta-m é energia, que isto de teste de fisica e DGD um a seguir ao outro n é fácil, se contar que esta noite n vou dormir mt por causa do CSI:Miami tao inda vou ficar pior, mas pronto, há coisas que n dispenso =D o teu texto tava giro, mas eu ainda estou à espera de ver esses post-its amarelos com uso. tou com necessidade de ler outra fábula. Abraço

Carlos Barros disse...

não estou a dizer para o fazeres, estou só a oferecer-te qualquer coisa meu que fiz para poderes utilizar como queiras...numa Bd numa caricatura, para meteres cheiros no papel.

Kal disse...

lol, n interpretes mal a minha pergunta do comentario, eu gostei mm da oferta e vou tentar fazer uma BD. Vai demorar algm tempo, mas irei tentar e dps posto no Baú e mando-t uma cópia por mail se kiseres postar aki. E ainda bem que fala de cores,pq eu pinto mal e preciso de treinar a cor, e cm quero fazer algo de jeito, vou-m esforçar. Obgd pela oportunidade, agr quem esta comovido sou eu =P abraço

Carlos Barros disse...

Kal não intrepetei nada mal...sei que tens mrts qualidades vamos então ver essas qualidades a funcionar.é isso que é importante hihihihiih estás feito

A disse...

Ai o fokinha! "May the force be with u" isto é um quote d'um filme kalker, uma cena estelar qualquer,axo, mas há um francês, meu favorito, que abusa dela!

Sabiam que os meus olhos mudam de cor?
Pois é passam de castanhos para verdes! Tendo a acreditar, umas vez que é culpa do sol outras qué culpa de uma alma vil e invejosa! mhuhahah! Mas sou boa pessoa!

Nd de hesitações fokinha! hem? ;)

pipetobacco disse...

{ ... nesta falta de tempo [programada] ler um texto como o teu [grande; demorado] é privilégio [e gosto] […] e pena de quem não o tem [tempo] e não o lê [texto] […] gosto dos teus textos [] ... }{ abraço }

LetrasAoAcaso disse...

Os sonhos sempre presentes de lábios e aromas.
Carlinhos, folgo ver que o sonho faz parte do teu quotidiano. Valeria (não confundir com Valéria....hihihi) a pena viver sem o sonho?

"Existem dois mundos: o real e o dos sonhos. SÓ o dos SONHOS é VERDADEIRO".

Abraço cunhadão

Micas disse...

Também associo os cheiros a cores!! e a lugares!! gosto deste teu sitio. Gosto dos teus textos. Beijos

Carlos Barros disse...

As vezes gostava de conseguir responder, ter uma resposta, mas não consigo, gostava de dizer milhares de coisas, mas só me sai um grande e eterno Obrigado a todos os que me ajudam a ter alguma capacidade de escrever...eu tenho medo muito medo de o fazer é verdade.

A disse...

Já não estou só no quarto de 4 paredes brancas, brancas sem sombras, ou luz, ou noção de profundidade = 4 paredes brancas e um só plano...Já não estou só [EU e o MEDO! o MEDO e EU!] à equação devo tb juntar a ti (?) [... agora que penso nisso] Nunca julguei que tivesses medo ? Mas medo de quê? Eu tenho sem razões para o ter e tu? Bom [,que importa?] mas tu ainda vais escrevendo... eu estou em branco. É a imaginação que não assiste...Lembras t da minha capacidade de mutação, de mudar a cor dos olhos? Pois! 'Tão verdes de novo [heheh^^]

Carlos Barros disse...

Quem consegue escrever coments assim...(que raio de nome) não pode estar branco está translucido de vontade de esgatafunhar coisas boas...basta para isso...escreveres sem fim

ÍO disse...

gracias por visitar mi blog :), que lástima que no hablo portugués...

gostodeti disse...

Adoro o cheiro a terra molhada, adoro o cheiro dos bebes!Adoro o cheiro...