domingo, janeiro 23, 2005

No meio do nevoeiro, avisto gambuzinos!

Era uma vez, uma menina que vivia perto do céu, adorava comer logo de manhã umas apetitosas nuvens.
Ela dizia sempre, que as nuvens, lhe sabiam a algodão doce. Depois sorria sempre ,com o seu ar doce e angelical, que encantava todos.
Certo dia, encontrou uma bonita e amistosa galinha sentada, numa das nuvens, a menina com o seu ar doce, bochechas ruborizadas, perguntou à galinha o que fazia ali, naquela nuvem doce.
A galinha respondeu, que estava à espera de avistar, o barco fantasma dos piratas.
Reza a lenda, que sempre que aparecia nevoeiro de manhã, era avistado um barco pirata, a passar por ali.
A menina ficou intrigada, até porque ela era filha do vento e a sua mãe, a brisa, nunca lhe tinha contado nada sobre o barco fantasma dos piratas, mas uma vez falou-lhe de um porco, que tinha uma perna de pau, tinham-lhe levado a perna, para fazer um presunto. Agora piratas, ela não se lembrava.
Na realidade, os pais apenas a queriam proteger.
Já tinham sido castigados o suficiente, quando lhe levaram o outro filho, que era um rapaz que iluminava tudo por onde passava.
Ah, o piripampo, de sua alcunha o caga lume fala-se por ai, que está debaixo de terra, estupidamente debaixo de terra, foi num dia, como outro qualquer, mas a seguir ao dia de ser levado, foi levado novamente para alumiar lá na gruta do Odair, a procura do tesouro.
Tudo aconteceu, quando numa noite fria, um grupo de homens saiu à caça de gambuzinos, nas praias rochosas de Ambrughul e depararam-se com o filho, do Vento e da Brisa.
Ao confudirem-no com um gambuzino, feriram-no de morte e o rapazinho não resistiu.
Mas afinal era um escamartilhão, um horrivel e nojento animal, que só aparecia naquelas noites de maresia, mas ao que contam os mais velhos, os escamartilhões só aparecem aos olhos de quem bebe, mais de 3 garrafas de casal Garcia, e foi assim que se descobriu que naquela noite, o «caga lume» afinal tinha fugido, ferido de morte estava o escamartilhão que nunca ninguem encontrou.
Nesse dia, a menina, sentou-se na nuvem perto da galinha e em vez de avistar o barco fantasma dos piratas, recebeu em seus braços o irmão, que já não via há 3000 anos.
Foi neste dia, em que o Sol e a Lua, se juntaram, pela primeira vez!!!

Written by Carlos Barros e Tânia T., em homenagem ao Miguel M.


Escrito em Post it Amarelo
Apeteceu-me (pelo menos a mim)

3 comentários:

Anónimo disse...

tá muita giro
by sonia

Kal disse...

LOl, esta história tá mt mt fixe! mt original, bem engraçada =) parabens. pa kd uma sequela?

Carlos Barros disse...

Kal...a sequela, só depende doss Post it amarelos onde a «estoria» foi escrita e depois engendrada se ouver post it há sequela, obrigada por gostares