sábado, janeiro 22, 2005

Ora bolas (não vermelhas)

As voltas que o mundo dá, mesmo assim não são tantas como a minha cabeça, a minha rica e humilde cabeça.
As vezes anda tão depressa que nem consigo raciocinar direito, umas vezes por excesso de álcool outras vezes porque acho que a idade não me permite fazer muitas coisas ao mesmo tempo.
Este é um desses dias, não por excesso de álcool coisa que já não ingiro a algum tempo, mas porque ou me penso em coçar estou com uma alergia danada, ou em escrever algo, como o mais importante é coçar nesta altura, não sei o que vou escrever, aliás eu nunca sei nada, mas como um dos meus ídolos de infância se chama Descartes, ai vou eu, pelas ruas do meu Word enfrentando furiosamente as teclas, que se queixam há anos de serem tão maltratadas, eu reconheço é um facto, mas a verdade é que nunca damos o devido valor ao que temos, por exemplo o teclado, vamos lá ver o que diz o dicionário sobre o teclado :
« um dos dispositivos ou periféricos de entrada de informação no computador, que consiste num conjunto de teclas que transmitem informação através de símbolos e cujos efeitos são definidos pela programação.»
sim senhora (olhem para o meu ar de espanto!!!) coisa potente, e prepotente é verdade prepotente, deveria estar, teclado:
utensílio do dia a dia ,onde para alguns serve para massacrar uma serie de pequenos quadrados com letras em cima, para outros terna e suavemente espraiam toda a sua verborreia mental, mais conhecido por chorrilho de asneiras, para outros , o teclado serve como arma de arremesso, e podiamos estar aqui a dizer durante uma eternidade, para que serve o raio do teclado.
Agora, um dispositivo ou periféricos, Deus me livre de deixar os meus filhos utilizarem tal coisa ainda acabam, nem sei bem onde, mas acabar acabam, comigo, pelo menos comigo, porque o remédio para acabar com a comichão, dá uma pedra de sono, nem imaginam e levar com eles aos gritos logo de madrugada (1 da tarde ) é coisa para acabar num hospício.
E Vocês sabem o que acabaram de ler ?
Pois calculei .

Apeteceu-me

2 comentários:

Fábio disse...

Bom, gosto, gosto sim senhor, um blog sem qualquer tipo de barreiras nem qualquer tipo de censura, nem a do próprio autor.
Apesar de tudo um blog é exactamente isto, uma maneira de escrever tudo o que nos vem à cabeça. Muito bom, muito bom mesmo.
Tenho dito...

Fábio disse...

É pá até já linkei isto no meu blog e tudo, parece-me bem. :P
"Apeteceu-me"